Mãe de trigêmeos fala dos desafios da maternidade após gravidez não planejada: “Escolhida por Deus”

Angélica Guedez contou sobre o sentimento em relação a dar à luz trigêmeos, em uma gestação que não foi planejada. Além dos bebês, ela também é mãe da Valentina, criança de apenas 6 anos

Resumo da Notícia

  • A venezuelana Angélica Guedez falou sobre o sentimento em dar a luz à trigêmeos, sobretudo, em uma gestação que não foi planejada
  • Além dos bebês, ela também é mãe da Valentina, criança de apenas 6 anos.
  • A Angélica explicou que não fez nenhum procedimento artificial para gerar três filhos ao mesmo tempo. Ainda complementou dizendo que ela e marido pretendiam sim, ter filhos, mas não esperavam que, logo de cara , viriam três

A venezuelana Angélica Guedez, de 26 anos, contou em reportagem ao G1, como foi a experiência de dar à luz trigêmeos. Em relato, a mãe contou que a gravidez ocorreu de forma natural e não foi planejada. Ao saber que, de fato, estava gerando mais de uma bebê, ela imaginou que não seria uma tarefa fácil – visto que, já é mãe de uma criança de apenas 6 anos. Agora, ela relata sobre a experiência e rotina maternal.

-Publicidade-

A Angélica é natural da cidade de Valência, no estado de Carabobo, localizado na Venezuela. Em 2017 ela saiu de seu país natal e optou em tentar uma vida em Roraima, ao lado da filha Valentina, fruto de seu primeiro relacionamento. No Brasil, ela conheceu o atual esposo, o qual é pai dos trigêmeos.

Os bebês Luis Fernando, Luccas Gabriel e Luana Laura, nasceram no dia 12 de abril de 2022, na maternidade Nossa Senhora de Nazareth, em Boa Vista. Eles vieram ao mundo por meio de um parto cesariana, quando a mãe estava próxima de chegar ao 8º mês de gestação. Após o parto, os trigêmeos recém-nascidos ficaram na maternidade por três semanas para ganharem peso, e assim, irem para casa da família em segurança.

Em depoimento, a Angélica contou sobre o sentimento em relação a ser mãe de quatro filhos. “O maior privilégio é ter sido escolhida por Deus para ser a mãe deles. Um dos maiores desafios é conseguir me manter calma para poder cuidar de tudo. Mas, vejo também muitos privilégios porque não é toda mulher que é abençoada com três bebês de uma vez”, fala.

A Angélica é mãe dos trigêmeos e de mais uma menina de 6 anos, a Valentina
A Angélica é mãe dos trigêmeos e de mais uma menina de 6 anos, a Valentina (Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal / Bustillo)

A gestação não foi planejada e ocorreu de forma natural, sem nenhum procedimento de fertilização. O casal planejava ter filhos apenas em anos seguintes, mas foram pegos de surpresas com os três bebês. “Minha gravidez não foi planejada, mas a gente queria sim ter mais um filho, só que um pouco mais para frente. Foi muito estranho. Eu nunca imaginei que aconteceria comigo e eu passei por vários meses até acreditar que ia ter três bebês de uma vez”, conta.

De início, a descoberta da gestação a deixou impactada, sem conseguir acreditar no que o médico a dizia. “Congelei na hora que o médico falou que eram três. Eu só disse ‘não’, não me mexi, não consegui filmar [o ultrassom] e meu celular caiu em cima de mim de tanto nervoso (…) Me senti surpreendida, achei que era brincadeira do médico, minha reação foi rir e chorar. Não vou negar que eu senti medo e me perguntava se eu iria dar conta dos três”, disse.

No momento, a rotina de Angélica é dedicada aos trigêmeos e à filha mais velha, que mesmo tendo um pouco mais de idade, ainda depende dos cuidados maternos. Segundo a matriarca, todos os dias, ela precisa alimentar os bebê a cada três horas, dar banho, cuidar da casa onde vive e, nesses intervalos, descansar para repor as energias.

“É difícil porque além dos três bebês para cuidar, tem a minha filha mais velha que ainda precisa da minha ajuda para algumas coisas. Então, tenho que dividir meu tempo com eles quatro, a casa e também tirar um tempinho para me manter arrumada”, finalizou.