Mãe denuncia academia por recusar matricular a filha com autismo

De acordo com Rosimeire Azeredo, a unidade agiu de forma preconceituosa sobre a condição da jovem. O caso aconteceu em Belém, do Pará

Resumo da Notícia

  • Academia negou a matrícula de uma jovem autista
  • A mãe denunciou a unidade após o ocorrido
  • De acordo com ela, a atitude foi resultado de uma discriminação

Na última segunda-feira, 14 de fevereiro, Beatriz Azeredo tentou se matricular em uma academia, localizada em um shopping de Belém, no Pará, mas teve seu pedido negado por apresentar Transtorno do Espectro Autista (TEA). A família ficou indignada com a situação e denunciou a unidade por discriminação.

-Publicidade-

A jovem foi até o local devido a uma recomendação médica. Apesar de ser diagnosticada com a condição, ela apresenta um grau leve. De acordo com a mãe, Rosimeire Azeredo, quando a atendente da recepção percebeu que a filha tinha algumas dificuldades na fala, mudou o a forma de tratá-la.

Mãe denuncia academia por discriminação com a filha autista
Mãe denuncia academia por discriminação com a filha autista (Foto: Reprodução / Rosimeire Azeredo)

A gerente do local exigiu um laudo médico informando sobre a condição da jovem. No outro dia, ela e a mãe retornaram à academia e apresentaram o documento. No entanto, a funcionária pediu mais uma comprovação de que Beatriz não precisaria de um instrutor permanente para realizar as atividades.

“Ela disse que a academia não tinha condições de colocar um profissional exclusivo pra Beatriz, mas eu disse que ela não precisava. Ela já foi matriculada em outras academias, nunca fizeram isso. Mesmo que precisasse, por lei eles teriam que fornecer”, disse ela em uma entrevista à TV Globo.

“Sem dúvida que foi um caso de discriminação. Colocaram dificuldades dela se matricular por causa do autismo. Vamos em frente com o processo, porque as pessoas precisam aprender a trabalhar a inclusão, ao invés da exclusão. Precisam aprender que discriminação é crime”, continuou.