Mãe desabafa ao saber que tem poucos meses de vida: “Não consigo pensar em deixar meu filho”

Natalie Sanders descobriu que tinha cerca de 6 até 12 meses de vida por causa de um grau avançado de câncer de mama com falho acompanhamento médico

Resumo da Notícia

  • Natalie Sanders, de 29 anos, descobriu que tem poucos meses de vida mas não está preparada para deixar o filho agora
  • Depois de ter se livrado completamente do câncer ele voltou com um grau ainda mais avançado
  • A mãe está fazendo de tudo para ter tempo extra com o menino de 3 anos, mas sabe que não vai conseguir vê-lo crescer

Depois de remover todo o câncer de mama, Natalie Sanders, mãe de um menino, em março desse ano teve que parar com o tratamento de quimioterapia por causa da pandemia. Ao revisitar os médicos eles a contaram que ela tem apenas alguns meses de vida.

-Publicidade-

Com 29 anos, segundo o The Sun, a jovem foi diagnosticada com câncer de mama triplo-negativo estágio 3 em outubro de 2019. Tristemente depois do tratamento o câncer voltou e toda a família teve o coração partido.

Em busca de passar o máximo de tempo o possível com o filho de três anos, Zeke, ao saber que tem pouco tempo de vida, ela está tentando juntar dinheiro online para um tratamento alternativo. A escocesa descobriu o tumor com a família e ao consultar os médicos eles suspeitaram que o caso seria genérico, sendo mais fácil o retorno do câncer mesmo após o tratamento.

-Publicidade-
Ela sabia desde a adolescência que tinha genes para câncer de mama (Foto: Reprodução/ The Mirror)

Depois da quimioterapia Natalie fez uma mastectomia que revelou que ela estava 100% livre do câncer. No entanto em junho ela começou a sentir dores no peito, mas foi liberada pelo médico ao ser considerado acúmulo de líquido nos seios. Conforme a dor piorou ela voltou no médico e fez um ultrassom, uma mamografia e biópsia.

Quando entrevistada pelo The Mirror ela contou que sempre foi muito atenta em relação ao próprio corpo e sempre soube a importância de verificar os próprios seios. Ela ainda contou que ela recebeu um péssimo conselho médico, que disse que ela tinha peitos grumosos pela construção do tecido do próprio seio.

Ela ainda adicionou: “Me disseram que se eu tivesse um caroço que se movesse não deveria me preocupar muito com isso. Era só se eu tivesse um caroço duro, que não se mexia, que eu deveria começar a me preocupar”. Quando ela teve o filho ela percebeu um grande caroço na mama direita que se mexia e ainda não a causava nenhuma dor. “Mas chegou a um ponto que o meu filho começou a engatinhar e subir em mim e toda vez ele pegava no caroço”.

Natalie não está pronta para deixar o filho (Foto: Reprodução/ The Mirror)

No começo ela pensava que era um cisto que tinha que ser drenado e foi ao médico para fazer o necessário. Lá o profissional concordou com o diagnóstico e mandou-a fazer uma triagem. Pouco tempo dentro do exame o médico a mandou fazer uma mamografia porque havia algo de errado.

Com a consciência de que tinha o gene para o câncer de mama desde a adolescência ela teria que remover os dois seios para evitar a propagação da doença dentro do próprio corpo. No entanto os médicos pararam o tratamento antes e a mandaram de volta para casa. Desde então ela foi diagnosticada com câncer de mama metálico de grau 4, e recebeu a expectativa de vida de 6 a 12 meses.

A família ficou devastada com a evolução da doença (Foto: Reprodução/ The Mirror)

“Minha enfermeira ficou desolada e o meu marido e eu ficamos obviamente arrasados”, contou Natalie sobre a reação dos próximos ao descobrirem que o câncer tinha evoluído para o grau 4. A mãe ainda não consegue aceitar que tem só mais 12 meses para viver.

“Eu tenho meu menininho. Eu tenho que fazer absolutamente tudo que posso para ficar com ele. Eu só não posso vê-lo crescer”, concluiu.

-Publicidade-