Mãe desabafa sobre filha ter alergia rara à água: “É horrível para ela”

Caso a menina entre em contato, manchas vermelhas e caroços começam a surgir no corpo. Os médicos ainda não conhecem um tratamento eficaz para o caso

Resumo da Notícia

  • Danielle McCraven tem uma rara alergia à água
  • Manchas avermelhadas começaram a aparecer após o banho da menina
  • Os médicos ainda não sabem como tratar o caso de forma eficaz

Danielle McCraven, de 12 anos de idade, mora em Haughton, Luisiana, nos Estados Unidos. Ela tem uma rara alergia à água, e isso a impediu de praticar o passatempo favorito: Natação. Caso a menina tenha contato com água, como no banho, manchas vermelhas começam a aparecer no corpo.

-Publicidade-
Danielle teve que parar de nadar por ser alérgica à água (Foto: Shutterstock)

Há menos de um ano, ela foi diagnosticada com urticária aquagênica, uma condição rara que afeta menos de 100 pessoas em todo o mundo. Os primeiros sintomas apareceram quando, ao sair do banho, manchas e caroços que a fazem sentir coceira e dor surgiram no corpo dela. Agora Danielle precisa sempre carregar medicamentos antialérgicos para o caso de entrar em choque anafilático.

Ao portal Daily Mail, Sari, a mãe da menina, explicou: “Pode causar choque anafilático ou pode entrar em seus pulmões se ela tiver um surto grave, portanto, é fatal”. Ela disse: “Me assusta quando cobre todo o corpo dela porque significa que está piorando”.

A mãe da menina contou que ela não pode sair em dias quentes (Foto: Reprodução/ Instagram/ @queen_sari_1)

Com o início da alergia, a garota teve que parar de nadar e nos dias quentes de verão precisa ficar em casa para evitar o suor, que pode desencadear a reação alérgica. Sari disse: “É doloroso e muito difícil para ela, não sei o que se passa na cabeça dela porque é horrível para ela. Ela adorava nadar e chorou no verão passado quando não podia nadar com os amigos”.

À princípio a mãe não pensou que a menina tivesse alergia à água. Ela pensou que as manchas apareciam porque Danielle teria tomado banhos muito quentes, mas ela reparou que o mesmo acontecia com água fria. Sari contou: “Ela estava tomando banho há mais de um ano e disse que achava que era alérgica à água. Eu disse a ela que não era possível e que ela deve ter esquentado muito a água do banho. Os pés dela estavam vermelhos e coçavam e foi piorando cada vez mais, mas achei que ela estava se coçando ou se esfregando, porque achava que não havia como ser alérgico à água”.

A mãe continuou: “Então nós fomos nadar um dia e ela estava coberta de urticária, então eu a levei ao médico. O médico derramou água no braço dela e observou o desenvolvimento. Ele se recusou a acreditar que ela era alérgica à água. Aparentemente, é algo que se desenvolve na puberdade, mas é tão raro que eles não sabem o suficiente para tratá-la”.

A alergia da menina é tão grave que um simples banho pode matá-la. Para se lavar, Danielle precisa da ajuda da mãe, que tomam todos os cuidados necessários. Sari disse: “Ela é alérgica a água engarrafada, água salgada, água da torneira, mas pode ingerir. É estressante quando ela precisa lavar o rosto ou tomar banho porque ela não quer, ela fica com medo”. E finalizou dizendo: “Agora, só espero que não piore com o tempo, porque temos medo de que o pior possa acontecer”.