Mãe desabafa sobre julgamento que recebe por ter somente um filho: “Fui chamada de egoísta”

A mãe que é jornalista apontou estudos científicos feitos por universidades que falam do estereótipo de filho único e decidiu que não quer mais ter filhos. Ela foi chamada até mesmo de “egoísta” pela decisão

Resumo da Notícia

  • Mãe de primeira viagem sempre escuta a frase: "E vai quere outro filho?"
  • No entanto, a jornalista norte-americana falou que por conta de estudos divulgados, não quer outro filho
  • Isso porque eles mostram diversos pontos de características emocionais de um filho único

Com toda certeza se você é mãe e tem somente um filho, já foi questionada se terá outro ou se tem algum plano e nem sempre você fica confortável com a quantidade de questionamentos (principalmente sendo mãe de primeira viagem).

-Publicidade-

Uma das mães que passou por isso foi Katie Arnold-Ratliff, a jornalista Norte-Americana. Ela falou que não pode encontrar pessoas na porta da escola do filho ou reunir a família, que escuta a pergunta se “terá outro filho”.

Em entrevista para o portal Scary Mommy, ela falou que já chegou a ser acusada de “egoísta” por não querer ter mais um filho para brincar com o outro.

“Tendo perdido a construção de caráter que vem de compartilhar seu quarto e o amor de seus pais, eles supostamente estão destinados a serem idiotas egocêntricos”, falou a mulher. “Um estudo inovador de 1987 parecia provar que a noção de filho único introvertido e desajeitado era um mito. As crianças são tão adeptas à interação social e tão propensas à extroversão quanto qualquer outra pessoa”.

Ela conta que não tem planos para ter outro filho (Foto: Reprodução/ iStock)

A jornalista falou que descobriu que filhos únicos ficam mais próximos dos pais do que dos irmãos e que eles tem maior inteligência emocional, supondo que, o filho tem chances de se destacar mais no mercado de trabalho, por exemplo.

Katie também falou sobre um estudo publicado por estudantes de medicina na China, que aponta que “adultos sem irmãos são mais ambiciosos e confiantes”. Por fim, a jornalista depois de ler um estudo de 2011, da Universidade de Warwick, que mostra que crianças que sofrem bullying de irmãos são mais propensas a lutar contra depressão, ela decidiu que não terá mais filhos.

A jornalista com o filho (Foto: Reprodução/ Parents)

“Eu não quero dizer que filhos únicos são, de alguma forma, superiores, ou que não há desvantagens. No final, o ponto é o seguinte: sempre que alguém insinuar, ou apenas declarar, que você está fazendo um desserviço ao seu filho ao não fornecer um irmão, você pode ficar tranquilo sabendo que isso simplesmente não é o caso. Na verdade, você pode estar fazendo a seu filho — e a si mesmo — um grande favor”, concluiu Katie.