Mãe descobre câncer de mama e encara a situação da melhor forma: “Penso que será apenas uma fase”

A história de Fernanda Poli, nossa blogueira parceira, mãe de Miguel e Maitê, vai te emocionar

Fernanda Poli compartilhou um relato emocionante com a Pais&Filhos (Foto: Acervo pessoal Pais&Filhos)

A história de Fernanda Poli, nossa blogueira parceira do “Curtindo com Crianças”, é muito emocionante. Mãe de Miguel, de 5 anos, e Maitê, de 1 ano e 5 meses, ela decidiu compartilhar com a Pais&Filhos um relato superimportante. Aos 37 anos, Fernanda amamentou a filha caçula até maio de 2019, porém, no final do mês de julho teve uma descoberta inesperada.

-Publicidade-

“Estava tomando banho e senti um caroço na mama. Achei estranho e liguei pro meu médico, ele estava indo viajar, mas fiquei encafifada”, conta. “Marquei uma consulta com um médico da equipe dele. Ele me examinou e pediu um ultrassom. Na consulta, o ultrassonografista disse logo de cara que eu não tinha um nódulo nem um cisto e que eu poderia ficar tranquila”.

Após ser perguntada se tinha feito alguma cirurgia recente ou tinha algum trauma e obter a resposta negativa para essas perguntas, Fernanda decidiu procurar um mastologista. Ela precisou fazer uma ressonância e uma biópsia. O diagnóstico veio à tona: câncer de mama.

-Publicidade-
Na primeira foto, Fernanda e Maitê. Na segunda, Fernanda e Miguel (Foto: Acervo pessoal Pais&Filhos)

Segundo Fernanda, os médicos disseram que o câncer foi desenvolvido pela quantidade de hormônios durante a amamentação. De acordo com nosso colunista, o Dr. Igor Padovesi, ginecologista e obstetra formado e pós-graduado pela USP, pai de Beatriz e Guilherme, o câncer de mama não é causado pela amamentação.

“O câncer de mama tem muitos fatores e, na maioria das vezes, é dependente de hormônios. Ela teve um câncer inicial, que foi fomentado, alimentado e potencializado pelos hormônios“, explica. “Tem mulheres jovens que podem ter câncer de mama e o fato de ficar grávida acelera esse processo. Existe uma associação, mas não podemos, de forma alguma, dizer que o câncer foi causado pela gravidez ou pela amamentação“.

Fernanda conta que a notícia a abalou na primeira semana após receber o diagnóstico, mas que decidiu ver a situação por um ponto de vista diferente. “Criei uma força de otimismo, de fé, de não ter pensamentos negativos. Estou pensando que isso será apenas uma fase. Vi que tinha dois caminhos para seguir: o da alegria e o da tristeza, optei pela alegria”, ela diz.

A família completa (Foto: Acervo pessoal Pais&Filhos)

A mãe também explica que o câncer não foi uma causa genética, porque não tem histórico familiar de câncer de mama. Ela começará o tratamento em breve, passando por uma quimioterapia e, depois, uma cirurgia. “Eu decidi me perguntar: o que eu vou aprender com isso?”, refletiu Fernanda.

Claro que o apoio familiar é super importante e ela não é a exceção, Miguel e Maitê têm sido essenciais para incentivar Fernanda no tratamento. “Isso me dá muito mais energia e vontade de que tudo passe rápido. Claro que penso também em meus filhos, porque eles que me dão energia”, declara.

Ela finaliza o relato dizendo que decidiu compartilhar sua experiência: “Decidi que não podia ficar quieta. Precisava orientar e alertar. Me senti na obrigação de passar isso pra frente como um alerta. É raro de acontecer, mas é possível”, ela conclui. Nós, da Pais&Filhos, adoramos a forma como Fernanda encarou a situação e desejamos muita força para ela e para a família nesse momento.

Fique por dentro do conteúdo do YouTube da Pais&Filhos:

Leia também:

Mãe descobre câncer de mama após filho recusar amamentação: “Ele estava cuidando de mim”

Sociedade Brasileira de Mastologia começa estudo importante sobre câncer de mama e você pode ajudar

Mãe vence o câncer de mama e emociona com texto sobre não poder amamentar