Mãe divide opiniões após obrigar filhos usar ‘pulseira anti-sequestro’ e se defende

Ela falou sobre a decisão e alguns internautas não concordaram. Jemma, então, decidiu responder e explicar a escolha

Resumo da Notícia

  • Mãe de dois divide opiniões após obrigar filhos usar pulseira anti-sequestro e se defende
  • Ela compartilhou a decisão nas redes sociais
  • Alguns internautas não concordaram com a escolha
  • Veja o que ela disse

Jemma Freeman, 30, tem dois filhos e sempre foi muito preocupada com a segurança deles. Nas redes sociais, ela decidiu contar para os internautas sobre uma decisão que tomou junto ao pai das crianças: comprar uma trava de segurança que prende os pulsos dos filhos aos do responsável e usá-lo toda vez que sair de casa com eles. Segundo o que foi defendido por ela, esse utensílio os protegeria de serem sequestrados.

-Publicidade-
Mãe divide opiniões após obrigar filhos usar ‘pulseira anti-sequestro’ e se defende (Foto: reprodução Mirror)

O pai comprou a trava de segurança em um e-commerce e faz os dois filhos, Jessica, de 3 anos, e Zachary, de 8, usá-la toda vez que saem de casa com mãe. O dispositivo funciona como uma pulseira com uma trava e uma bobina adicionais, evitando que a criança se desvie do alcance. Por ser “a prova de crianças“, os filhos não conseguem se desprender da trava, deixando essa responsabilidade apenas para algum adulto

Jemma explicou que falou com os dois filhos sobre os motivos por trás da fechadura e os dois ficaram felizes em usá-la. A mãe, então, decidiu compartilhar uma foto do objeto no Facebook, contando um pouco sobre por quê decidiu usá-lo. Os internautas dividiram opiniões: enquanto uns a elogiaram pela preocupação com garantir a segurança dos filhos, outros a criticaram pela ação.

-Publicidade-

“Brilhante, eu tive um assim, mas não tão bom quanto o seu. temos que fazer o que estiver ao nosso alcance para manter nossos filhos seguros quanto a muitos males por aí”, escreveu um internauta. “25 anos atrás era comum usar rédeas para crianças. A ideia é mantê-los seguros e permitir-lhes alguma liberdade para andar. A aparência deles não deve ser o problema”, opinou outra.

Os internautas dividiram opiniões (Foto: reprodução Mirror)

Jemma contou, em entrevista ao portal Mirror, que sabe que a decisão é polêmica. “Algumas pessoas comentaram dizendo que eu deveria cuidar dos meus filhos e que eles não são’ cachorros ‘. Estou totalmente ciente dessas duas coisas. No entanto, quando as pessoas estão tendo filhos arrancados de seus braços ou carrinhos, eu sinto que não é o caso de ficar apenas observando seu filho. E como mãe, se eu puder fazer alguma coisa para ajudar a mantê-los seguros, eu o farei”, contou. “No final das contas, há muitas coisas boas no mundo, mas infelizmente também há coisas acontecendo que não são tão boas. Se eu puder proteger meus filhos e ajudar outros pais a proteger os deles, farei o que estiver ao meu alcance”, finalizou

-Publicidade-