Mãe do filho do jogador Jô vai fazer rifa de bolsa para pagar chá de bebê após abrir mão da pensão

Recentemente, Maiára Quiderolly abriu mão da pensão que o jogador Jô teria que pagar fala o filho, João Gabriel
apó

Resumo da Notícia

  • A influenciadora Maiára Quiderolly está grávida do jogador Jô
  • Ela abriu mão da pensão que o atleta teria que dar para o filho
  • E falou que irá fazer uma rifa com objetos de luxo para bancar chá de bebê

Maiára Quiderolly é uma influencer que está grávida do jogador de futebol Jô. Ela contou nos stories do Instagram que vai fazer uma rifa de bolsas de grife para conseguir pagar o chá de bebê do filho deles, João Gabriel.

-Publicidade-

Ela falou na quarta-feira, 13 de julho, sobre a rifa. “Toda mãe sonha em fazer tudo como sempre sonhou. E pensei: ‘e agora?’ Porque vai custar dinheiro. E aí, me deram uma ideia. Eu tenho uma bolsa que é de uma marca italiana. E eu vou fazer uma rifa dessa bolsa para conseguir juntar mais dinheiro ainda para fazer o chá de bebê”, iniciou ela.

“Consegui parceria para algumas coisas, mas para outras, não. Estamos tentando. Tem o chá de bebê, tem enxoval, pronto. Então, vamos ralar para conseguir dinheiro, trabalhar”, continuou Maiára no relato.

A influenciadora falou sobre a rifa que está organizando
A influenciadora falou sobre a rifa que está organizando (foto: Reprodução/ Instagram)

Ela também falou que se precisar vender outras coisas, irá fazer. “Se eu tiver que vender tudo, vou vender. Não aceito não fazer as coisas que eu quero, é meu primeiro filho. Não foi do jeito que planejei, não foi do jeito que eu queria, mas algo foi algo que esperei a minha vida inteira, que é ser mãe”, ela apontou, contando sobre a primeira gestação.

Por fim, a influenciadora disse que só fez esse relato para ajudar aquelas mulheres que não tem apoio dos pais dos filhos. “Eu não sou santa, muito menos vítima. Não fico aqui pagando de vítima, não. Falo minhas coisas, porque eu recebo centenas de mensagens diárias de mamães solo que estão desanimadas, que me contam histórias que fico indignada. Então, eu falo que quero servir como forma de incentivo para mães que não sabem o que fazer. Não fui mulher pra fazer? Do mesmo jeito estou correndo atrás das coisas para o meu filho. Ele não tem culpa de nada”.