Mãe doa rim para filho 4 dias antes do aniversário dele: “Salvou minha vida”

Graças a Dona Eliane, Eder não irá precisar mais fazer hemodiálises

Resumo da Notícia

  • Eder completou 30 anos no último domingo
  • O homem ganhou o melhor presente de aniversário possível
  • A mãe de Eder doou o rim para ele 4 dias antes do aniversário

Eder completou 30 anos no último domingo e ganhou o melhor presente de aniversário que ele poderia imaginar, sua mãe fez um transplante de rim para ele 4 dias antes do aniversário. Dona Eliane encerrou para sempre as idas e vindas da hemodiálise do filho.

-Publicidade-

O procedimento cirúrgico bem-sucedido foi feito no dia 2 de março no Hospital Santa Isabel de Blumenau (SC). Eder e sua mãe passaram alguns dias em recuperação na unidade Nossa Senhora Aparecida, recebendo alta neste fim de semana. Em entrevista ao portal ‘OCP News’, Dona Eliane disse que foi perseverante antes e depois da cirurgia. “Sempre tive fé”, afirmou, já Eder complementou: “O rim da mamãe vai salvar a minha vida”.

Os dois fazem parte do ‘Grupo Somos Fênix’, entidade que reúne pacientes na fila de espera ou que já realizaram um transplante renal. O grande dia para a cirurgia foi muito esperado por Eder. Tanto que o rapaz fez até ‘contagem regressiva’ com adesivos em seu veículo, contando os dias até chegar à última hemodiálise.

O órgão do doador precisa estar saudável para o sucesso do transplante
O órgão do doador precisa estar saudável para o sucesso do transplante (Foto: Getty Image)

Segundo o Hospital Santa Isabel, foram realizados mais de 3.800 procedimentos de transplante de órgãos na instituição. Para que seja bem-sucedido, o órgão do paciente doador precisa estar saudável e sem maiores complicações. Em geral, ele é entregue a um portador de insuficiência renal crônica avançada.

Com a cirurgia, o rim é implantado no paciente e passa a exercer as funções de filtração e eliminação de líquidos e toxinas. Ao contrário dos demais transplantes existentes, os rins naturais do paciente não são retirados. O novo órgão é posicionado ao lado dos já existentes – a menos que estejam causando infecção ou hipertensão.