Mãe é condenada a mais de 46 anos de prisão após estuprar a própria filha

Segundo a Polícia Civil, a mãe e o padrasto não conseguiam mais ter filhos, então decidiram usar o corpo da menina para terem um novo bebê

Resumo da Notícia

  • Mãe e padrasto usaram o corpo da filha para terem um bebê
  • O criminoso foi pego em flagrante
  • A prisão preventiva da mãe foi decretada

Mãe e padrasto são condenados a mais de 46 ano de prisão por estupro contra adolescente em Pontalina, centro de Goiás. Segundo informações do G1, a Polícia Civil disse que a mãe não podia engravidar do marido. Sendo assim, ambos combinaram de ter um bebê, por meio da menina de apenas 13 anos. A prisão preventiva contra a mulher foi realizada nesta quarta-feira, 24 de março.

-Publicidade-

O casal foi condenado a 46 anos, 10 meses e 15 dias, após estuprarem a adolescente. A mulher de 36 anos, mãe da vítima, passava por grandes dificuldades ao engravidar. Fazendo com que não fosse possível ter um filho com o atual marido, o padrasto da vítima. Decidiram então, ter um filho usando a garota.

Delegacia da Polícia Civil de Pontalina, Goiás (Foto: Reprodução/Polícia Civil)

“Durante as investigações, ficou comprovado que a mãe da vítima não teria condições de engravidar do marido e, por isso, ambos combinaram de ter um filho usando a vítima de 13 anos de idade”, disse a polícia.

O delegado Leylton, profissional responsável pelo caso, disse que o padrasto foi condenado pelo estupro de vulnerável. Já a mulher, também foi condenada pelo motivo. No entanto, ela foi enquadrada na modalidade “omissiva”, pois o crime foi feito, de fato, pelo marido.

O caso aconteceu em 3 de setembro de 2021, com 0 estuprador sendo pego em flagrante. A polícia informa que a adolescente teria engravidado e abortado, mas os criminosos decidiram continuar com o a ação de estupro contra a menina.