Mãe e filha constroem “casa de vidro” com mais de 5 mil garrafas descartadas irregularmente

O projeto de Maria Gabrielly Dantas e sua mãe, Edna Dantas, foi realizado no litoral de Pernambuco e pensado na sustentabilidade

Resumo da Notícia

  • Mãe e filha construíram um imóvel com 6 mil garrafas de vidro descartadas irregularmente na Praia do Sossego, na Ilha de Itamaracá, litoral de Pernambuco
  • Maria Gabrielly Dantas e Edna Dantas combinaram as experiência com design e reciclagem para a realização do projeto.
  • A dupla ficou mais de um ano recolhendo material para construção da casa, e o resultado ficou incrível!

Mãe e filha protagonizaram um projeto de moradia sustentável que já é sucesso na Ilha de Itamaracá, no litoral de Pernambuco. Isso porque a designer Maria Gabrielly Dantas, combinada com Edna Dantas, que possui experiência com cooperativa de reciclados, decidiram construir uma casa com 6 mil garrafas de vidro! A matéria prima para a construção provém de lixo descartado irregularmente na Praia do Sossego.

-Publicidade-

Em entrevista à UOL, Maria contou que ela e a mãe se assustaram com a quantidade de lixo das praias da região e, por causa disso, decidiram construir um imóvel sustentável que, de quebra, conseguisse limpar o ambiente. “Na praia do Sossego, a gente observou, junto com a necessidade da residência própria, a oportunidade de usar o lixo que é tratado como entulho e que não tem uma utilidade final”, contou a designer.

Mãe e filha se assustaram com a quantidade de lixo na praia (Foto: Reprodução/ UOL/ Arquivo Pessoal)

“Minha mãe chegou para mim e disse: ‘Vamos fazer nossa casa com garrafas de vidro. E nós duas que vamos construir’. A gente precisa ter uma inovação sustentável. Acreditar que não é porque aquilo foi descartado que não tem utilidade. Foi assim que nasceu a Casa de Sal”, revelou, sobre a residência da dupla.

O imóvel possui 60 metros quadrados, 4 cômodos e um banheiro ecológico – que usa os dejetos para compostagem. Além disso, o processo de 1 ano de coleta de materiais para a construção da casa foi feito em apenas um raio de 500 metros da região. Isso por si só já explica a necessidade de iniciativas mais sustentáveis para a região.

“Ainda usamos algumas coisas da natureza, como palhas de coqueiros, que a gente coloca em parte do telhado”, completou. “É todo um conceito de ecodesign, arquitetura vernacular [que usa materiais e recursos do entorno da edificação] e princípios de bioconstrução. Com a construção da casa estamos regenerando o solo em volta do nosso terreno”.

A dupla ergueu a casa do zero! (Foto: Reprodução/ UOL/ Arquivo Pessoal)

A construção impressiona – não só pela execução de uma ideia impressionante, mas também pelo trabalho árduo feito em conjunto: pela mãe e pela filha. “Teve uma moradora que tinha garrafas no terreno dela havia dez anos. Pegamos esses materiais e fizemos as paredes sozinhas. A ajuda veio para o fazer telhado. Conseguimos reunir amigos e erguemos esse teto. Mas o resto fomos nós mesmas”, contou Edna, também em entrevista. Incrível!