Mãe e filho são encontrados mortos na própria casa em região metropolitana da Bahia

A casa onde a mãe e o filho moravam funcionava também como sede de igreja evangélica

Resumo da Notícia

  • Morte de mãe e filho deixa policiais intrigados
  • Só será relevada a causa da morte após saírem os lados do departamento de polícia técnica
  • Os corpos foram encontrados na última sexta-feira, 15 de abril, na Bahia

Mãe de 35 anos e o filho, de 14 anos, foram encontrados mortos na própria casa, em Conceição do Jacuípe, próximo à Salvador. Os corpos foram encontrados na sexta-feira, 15 de abril, segundo fontes da Polícia Civil.

-Publicidade-
Mãe e filho foram encontrados mortos na própria casa
Mãe e filho foram encontrados mortos na própria casa (Foto: iStock)

Eliana de Jesus Santana e Ronivon Santana Batista estavam no imóvel que também funcionava uma igreja evangélica. A polícia afirmou que só poderá confirmar a causa das mortes após saírem os laudos do Departamento de Polícia Técnica. Os corpos foram levados para Santo Amaro, aproximadamente 35km da casa onde moravam.

Morte de mãe e filho

No início do ano, fortes temporais  deixaram mais de cem mortos em Petrópolis, no Rio de Janeiro. Dentre as mais tristes histórias de luto, mãe e filho com autismo de 5 anos de idade perderam a vida enquanto comemoravam o primeiro dia de aula de sucesso da criança.

“O Bento estava no colo do pai quando tudo aconteceu. E ele agora se culpa como se não tivesse segurado o filho forte o suficiente. Mas isso não existe, é claro”, relembra Karina, prima de Carolina – mãe que perdeu a vida enquanto comemorava o avanço do filho em sala de aula.

Ocorreram muitas mortes em Petrópolis
Ocorreram muitas mortes em Petrópolis (Foto: Reprodução / g1)

A última mensagem mandada por Carolina, mãe que perdeu a vida, no grupo da família no whatsapp dizia respeito a Bento. Com 5 anos de idade, a mãe celebrava em um áudio que o filho tinha apresentado sinais de desenvolvimento no primeiro dia na sala de aula.

“O Bento estava no colo do pai quando tudo aconteceu”, relembra Karina, prima de Carolina. “E ele agora se culpa como se não tivesse segurado o filho forte o suficiente. Mas isso não existe, é claro”. Alessandro sobreviveu a tragédia. Além das mortes de Bento e Carolina, a irmã Sophia de apenas 1 ano e a avó das crianças também não resistiram.