Família

Mãe enfrenta luto e dá lição de vida sobre não desistir de engravidar

É como a gente sempre fala: no final, tudo dá certo!

Helena Fonseca

Helena Fonseca ,filha de Bethania e Paulo

(Foto: Acervo Pessoal)

(Foto: Acervo Pessoal)

“Sempre sonhei em ser mãe. Quando eu e meu marido, Fernando, começamos a namorar, sempre deixei isso claro. Ele não se empolgava muito com isso, porque já tinha dois filhos.

Nosso relacionamento foi ficando sério e fui deixando cada vez mais claro esse sonho. Até que sentamos para conversar e eu disse a ele que era melhor pararmos por ali, porque eu respeitava a vontade dele, porém não iria abrir mão do meu sonho. Foi então que tudo mudou. O Fernando embarcou nessa emoção comigo. Só não sabíamos que a luta seria tão grande.

Em 2010 eu engravidei, foi a maior alegria. Mas logo foi interrompida com um aborto espontâneo. Fiquei muito mal, mas superei e não desisti. Pouco tempo depois estava grávida e radiante – e era uma menina, como sempre sonhei! Porém mais uma vez vi meu mundo desabar. Aos 5 meses e meio entrei em trabalho de parto devido uma infecção e minha bebê, minha tão sonhada Mariana, nasceu sem vida. Fiquei despedaçada e revoltada, um misto de sentimentos. Doeu muito. Eu olhava o enxoval e chorava. Minha família, amigos e vizinhos torceram e sofreram junto com a gente.

Deus me ergueu novamente e meu sonho continuou. Tempo depois procurei outro médico e logo estava grávida. Como pesquisava bastante para entender minhas perdas, vi que faziam uma cirurgia a cerclagem (pequena cirurgia para “costurar” o colo do útero e tentar mantê-lo fechado até o fim da gravidez) e conversei com o médico, que me disse que só era indicado quando se tinha 7 abortos. Quer dizer que eu teria que perder 7 bebês para poder fazer? Confiei e seguimos, mas aos 5 meses tive outro aborto do meu menino. Quanta tristeza… Minha família chegava a pedir para eu desistir temendo minha vida, mas desistir? Que nada! Deus é tão maravilhoso que o médico que me atendeu no pronto-socorro foi enviado por Deus. Ele logo me falou que eu tinha: “você tem incompetência do istmo cervical, porque ainda não fez a cerclagem?”.

Então o Dr. Omar Abussamra falou: “Quando você sair daqui, me procura que você vai ter seu filho!”. Aquilo me deu tanta força que, em menos de 40 dias, estava no consultório dele fazendo exames para engravidar novamente.

Deus me deu mais uma oportunidade e logo estava grávida. Não foi fácil, repouso total na cama, um misto de sentimentos, medos… Nem o enxoval pude sair para comprar, mas enfim, o que eu queria mesmo e sonhava era ter minha menina, minha Mariana em meus braços. Não queria mudar o nome porque sempre sonhei com a Mariana.

Quando descobrimos que era uma menina foi uma alegria imensa! Com 37 semanas meu médico decidiu que era hora da nossa filha nascer. Minha pequena veio ao mundo dia 29/09/2013 às 9h.

Hoje a Mariana é a alegria da nossa casa, da nossa família, linda e muito esperta. Realmente um milagre de Deus”

Leia também

Família é tudo! Até quando ela não se forma do jeito mais convencional

Eles realizaram o sonho de serem pais!

Relato de mãe: “Meus dois filhos foram diagnosticados autistas”