Mãe envolve filho em tática absurda para conseguir likes e precisa apagar canal no Youtube

Jordan Cheyenne tinha um canal com mais de meio milhão de inscritos, mas perdeu ao envolver o filho em uma polêmica

Resumo da Notícia

  • Uma mãe nos Estados Unidos foi obrigada a apagar o canal no Youtube com meio milhão de inscritos depois de envolver o filho em uma tática absurda para conseguir likes
  • Jordan Cheyenne fez um vídeo em que falava da doença rara que estava acometendo o cachorro da família
  • Ela tinha o canal há 8 anos, e foi "cancelada" pelos internautas

Oi? Uma mãe nos Estados Unidos foi obrigada a apagar o canal no Youtube com meio milhão de inscritos após a enxurrada de críticas que recebeu por envolver o filho em uma “tática” para conseguiu curtidas. Jordan Cheyenne demorou 8 anos para alcançar a impressionante marca de inscritos, porém, colocou tudo a perder.

-Publicidade-

O caso começou com um vídeo publicado no canal da Youtuber, no qual ela expunha para os fãs a doença rara e grave que vinha acometendo o cachorro da família. Segundo ela, tratava-se de Parvovírus Canino, também conhecido como Parvo (CPV), que é uma doença potencialmente fatal, mas pode ser tratada se for detectada logo.

Jordan fez um vídeo ao lado do filho (Foto: Reprodução/ The Sun)

Contudo, Jordan esqueceu-se de cortar o fim do vídeo – e chocou os inscritos. Isso porque, nele, ela aparece colocando o braço ao redor do filho, sussurrando e lhe pedindo para “agir como se estivesse chorando”, ao que ele respondeu: “Mãe, estou chorando!”. Mais tarde, ela ainda pede que o menino se aproxime e o “ensina” onde posicionar as mãos e o polegar.

Os internautas perceberam o ocorrido antes que a mãe deletasse essa versão e subisse a “correta” – com os cortes ideais. Nos comentários, as polêmicas predominaram, e os fãs não deixaram de criticar a mãe.

“Eu NUNCA vou entender mostrar seu filho quebrando na internet”, comentou uma pessoa. “Você deveria protegê-los. Essas crianças que vêm de famílias que blogam de tudo, sofrem bullying na escola o tempo todo. Canais de família não deveriam existir”, opinou um internauta. Outra mãe ainda compartilhou um desabafo.

“Eu costumava gravar o colapso furioso da minha filha no meu telefone, por não conseguir o que ela queria, mas sempre que os encontro, eu os apago agora porque isso machuca meu coração e me faz pensar: ‘ para?’ Eu não poderia imaginar postá-los para o mundo ver”.

O vídeo gerou polêmica (Foto: Reprodução/ The Sun)

Ainda antes de derrubar o próprio canal, Jordan tentou publicar um vídeo se retratando pelo ocorrido. Nele, a mãe diz que sentiu o coração apertado ao assistir o vídeo polêmico, e que estava “imensamente decepcionada” consigo mesma e “nunca deveria ter feito isso”.

“Hoje eu quero que você saiba que estou tão enojado comigo mesmo por posar para uma miniatura de um vídeo tão emocionante”, disse Jordan. “Isso me fez dar um passo para trás e perceber que preciso estar muito mais presente no momento e nem mesmo pensar em algo assim quando as coisas estiverem acontecendo na minha vida”.

Vários internautas criticaram a família (Foto: Reprodução/ Getty Images)

A mãe chegou a receber ameaças de morte a ela, ao filho e a toda família e, por causa disso, excluiu as redes sociais. Um veículo de imprensa americano chamado Daily Dot entrou em contato com Jordan e lhe questionou a decisão, ao que foi respondido:

“Ficar totalmente off-line, cancelar todos os vídeos e monetização e priorizar meu filho são tudo que me preocupa. Estou enojada e horrorizada com o que fiz e não há absolutamente nenhuma desculpa. É terrível em tantos níveis. Amo meu filho mais do que tudo e vou me arrepender desse momento para sempre. Não irei a nenhuma entrevista, nem a fazer relações públicas, nem a passar horas comentando os vídeos das pessoas sobre mim, a coisa certa a fazer é ficar totalmente offline e priorizar a família”, contou ela.