Mãe escreve bilhete após pegar comida para família: “Prometo devolver”

A mulher deixou um recado em um papel, explicando a situação. O dono do estabelecimento ficou comovido com a atitude

Resumo da Notícia

  • Uma mulher comoveu moradores ao deixar um bilhete após pegar comida de um estabelecimento sem pagar
  • Na mensagem, ela explicou que era para os filhos e iria pagar quando tivesse dinheiro
  • O dono do estabelecimento comentou sobre a atitude

Uma mensagem chamou atenção de um comerciante nesta semana. Renato Lagatta, presidente da Associação Beneficente Filantrópica Vida Nova, que mantém o “Dr. Honesto”, um comércio de alimentos à beira de uma estrada em Santa Catarina, se sensibilizou por um recado da mãe.

-Publicidade-
Uma mulher que não tinha dinheiro para pagar comida para os filhos comoveu com atitude
Uma mulher que não tinha dinheiro para pagar comida para os filhos comoveu com atitude (Foto: Shutterstock)

O local não tem funcionário, portanto os clientes são responsáveis por escolher o produto e já pagar por ele. Porém, uma mãe justificou o fato de não ter pagado com um bilhete: “Olá, vim através deste bilhete informar que peguei algumas coisas para o café com os meus filhos. Mas não vou roubar, quando tiver [dinheiro], prometo devolver. Obrigada”, e assinou como A.C.P.

Ao UOL, Renato explicou que não sabe ao certo quando a mulher passou pelo local, mas que a ideia do estabelecimento é justamente ajudar: “Se a pessoa passa e não tem condição nenhuma [de comprar], está numa situação delicada, está valendo. Este é o nosso objetivo”.

A mãe levou dois pães, um pote de doce de banana e um pacote de cueca virada (orelha de gato), um doce típico no local, o que somaria algo em torno de R$ 30,00. A divulgação do bilhete também comoveu outras pessoas.

A mulher escreveu o bilhete para explicar o motivo de não ter pago pelas comidas que levou aos filhos
A mulher escreveu o bilhete para explicar o motivo de não ter pago pelas comidas que levou aos filhos (Foto: reprodução/UOL)

Uma outra mãe que se apresentou como Lia decidiu realizar uma doação para o local: “Aqui é para ajudar o que a mãe pegou para alimentar sua família”. Renato comentou ainda que no início do negócio passou por dificuldade financeira, mas contou com ajuda de divulgação de um caminhoneiro.

Ele ainda disse que a verificação do caixa é checada de uma a duas vezes por dia. “Em quase dois anos que estamos trabalhando, calculamos que 99% das pessoas são honestas, pagam pelo que compram”, completou.