Mãe faz alerta: “Quase morri, porque não tinha tempo para ficar doente”

Kristina Wright fez o desabafo para mostrar a importância de não se deixar de lado depois da maternidade

Ela fez uma postagem na internet (Foto: reprodução/HuffPost)

Mãe sempre tem tempo para todo mundo, mas muitas vezes esquece de deixar um espaço para uma pessoa superimportante da lista: ela mesma. Essa situação comum aconteceu com Kristina Wright, e depois de passar um susto, decidiu desabafar.

-Publicidade-

A mulher fez uma publicação no HuffPost para explicar toda a situação e alertar outras famílias. Ela começou explicando que a visão sobre autocuidado mudou durante a primavera de 2015, quando percebeu que precisava aceitar o tratamento médico para sobreviver.

“Eu tinha passado pelo inverno sem ficar doente, o que é basicamente um milagre quando você é mãe de duas crianças, e eu estava feliz, em paz e me sentindo bem”, explicou. Foi depois que ela passou a se sentir mal e pensou ser uma alergia ou resfriado.

-Publicidade-

“Eu ignorei, assim como a maioria das mães com crianças pequenas tendem a fazer e tentei melhorar tomando vitamina C”. Ela fez isso por um tempo e depois lembrou que ignorava sintomas anteriores a esse, como o mal estar durante o dia.

“Em 72 horas hesitante, indo para a cama logo depois do jantar, porque estava muito exausta para ficar acordada, eu estava em uma ambulância indo para o hospital”, continua. Esse período para ela é um borrão para ela e foi quando percebeu: “Eu não precisava de mais sono. I precisava de um cuidado médico de emergência”.

Além de pneumonia, ela estava com choque séptico, quando uma infecção se torna uma inflamação pelo corpo todo: “Meus rins estavam falhando e a pressão estava muito baixa. Eu estava realmente quase morrendo e eu nem sabia disso”.

Kristina ao lado dos filhos (Foto: reprodução/HuffPost)

A taxa de mortalidade da doença é cerca de 50%. Ela lembrou que só pensava nos prazos e responsabilidades e não tinha tempo para si e só conseguiu esse tempo depois de passar pela emergência do hospital e ficar internada na UTI.

“Quando eu finalmente pude voltar a me alimentar e sentar sozinha, quando eu comecei a me sentir eu mesma de novo. Quando eu não estava mais com perigo de morrer. Um dos vários médicos que eu vi durante minha semana no hospital, me falou: ‘Se você tivesse esperado mais 12 horas, provavelmente estaria morta”, finalizou.

O relato serve de alerta. Mãe também é gente e para cuidar o filho da melhor maneira que deseja, você precisa estar bem consigo mesma.

Leia também:

Sempre alerta: bebê engasga após amamentação e pai fala pela primeira vez os detalhes do acidente

Relato de mãe: “Fui acusada de querer matar meu bebê ao pedir que meu marido me escolhesse no parto”

Relato de mãe: “Como 6 semanas de repouso me fizeram uma mãe melhor”

-Publicidade-