Mãe faz apelo para incentivar imunização de crianças após filha de 9 meses contrair Covid-19: “A vacina salva”

Para a equipe do Fantástico, Janaína abriu o coração ao falar sobre o quadro clínico de sua bebê e ressaltar a importância da vacina para se salvar vidas

Resumo da Notícia

  • Uma mãe fez apelo nas redes sociais
  • Janaína pediu para que os pais vacinem seus filhos
  • A filha dela de 9 meses testou positivo para Covid-19 e precisou ficar internada

Neste último domingo, 13 de fevereiro, o Fantástico  divulgou uma reportagem exclusiva sobre a baixa adesão de vacinação contra Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos, causada principalmente pelo avanço das fake news, de acordo com dados cedidos pelo Ministério da Saúde.

-Publicidade-

Inconformada com a situação, Janaína, moradora de Rondonópolis, no Mato Grosso, decidiu utilizar as redes sociais para incentivar a imunização desta faixa etária. Para isso, ela fez um apelo em formato de vídeo com uma única intenção: sensibilizar outros pais para que eles não passem pelo que ela passou com a filha de 9 meses.

Janaína pediu para que outros pais vacinem seus filhos através das redes sociais
Janaína pediu para que outros pais vacinem seus filhos através das redes sociais (Foto: Reprodução Fantástico TV Globo)

“Foi muito rápida a evolução da doença. É muito traiçoeira. Quando menos você perceber, ela já está com muitos sintomas”, contou a mãe. De acordo com ela, a família contraiu o vírus e não apresentou sem sintomas graves, entretanto a bebê, que não pode receber a vacina, sofreu com a doença:

“Tinha 4 dias que ela não dormia direito, com falta de ar. Estava enjoadinha, gritava de dor e gemia muito”, relembrou Janaína, que afirma ter visto outros pais na internet espalhando notícias falsas e incentivando uns aos outros a não imunizarem seus filhos.

“Aquele dia eu estava muito mal. Nos grupos que eu participo, uma mãe estava incentivando a outra a não vacinar. Eu não sei o que elas pensam, o que se passa na cabeça de ser tão negacionista quanto à vacina. Para mim, a vacina salva. Se meu filho está vivo, está bem, está em casa, é porque ele foi vacinado. Se ele não tivesse sido vacinado, ele poderia estar numa UTI. Eu também poderia estar numa UTI se não tivesse sido vacinada”, finalizou.