Mãe negra com filho branco desabafa sobre situações de racismo: “Acham que sou babá”

Uma mãe, em depoimento para Universa, contou como a internet reage com os vídeos que posta com a própria filha: “Vão te demitir por expor a filha dos outros”

Resumo da Notícia

  • Em depoimento para a Universa, uma mãe contou sobre comentários racistas que recebe na internet
  • A mulher é negra e a filha nasceu com a tonalidade de pele parecida com a do pai, branca
  • Ela faz vídeos para a internet mostrando a rotina diária nos Estados Unidos

Em depoimento para a Universa, a assistente jurídica Tiane Gleason contou a história de luta contra o preconceito e o racismo que recebe através de redes sociais por ser uma mãe negra com uma filha branca: “Terei que ensinar para minha filha sobre como lidar e ter uma mãe negra”.

-Publicidade-

Aos 34 anos, Tiane faz vídeos para a internet dando dicas de como viver nos Estados Unidos de forma legal. Ela está morando em Los Angeles, na Califórnia há seis anos e durante o ano passado, ela teve a primeira filha ao lado do marido, o advogado Bryan.

Mãe sofre comentários racistas na internet: "As pessoas acham que eu sou a babá"
Mãe sofre comentários racistas na internet: “As pessoas acham que eu sou a babá” (Foto: Reprodução/Instagram)

Eleanor nasceu com a pele branca, puxando a tonalidade da pele do pai. Ao mostrar a filha nas redes sociais, a mãe passou a receber comentários racistas, alegando que a filha não era dela só por não ter a mesma cor de pele que a mulher.

Tiane contou como foi que passou a morar nos Estados Unidos, comentando que visitava o país desde criança, acompanhando a mãe que era artista plástica. Mas aos 19 anos, Gleanson foi fazer intercâmbio de línguas no local, e, em sequência, trabalhou como au pair.

Depois que o programa de au pair terminou, ela voltou para o Brasil e disse que nesse momento, já conversava com o atual marido: “Enquanto estava no Brasil, já conversava com meu marido, que é americano, em um site de relacionamento. Quando embarquei e cheguei lá, nos conhecemos pessoalmente, começamos a namorar e, depois de algum tempo, casamos.”

Mãe sofre comentários racistas na internet: "As pessoas acham que eu sou a babá"
Mãe sofre comentários racistas na internet: “As pessoas acham que eu sou a babá” (Foto: Reprodução/Instagram)

Como Bryan estudava direito, Tiane se interessou pela a área e fez um curso de assistente jurídico. Durante esse período que a mãe da mulher começou a ficar doente, falecendo logo em seguida. Foi nesse momento que ela decidiu que se mudaria de vez para os Estados Unidos e permaneceria lá com a família.

Já no país, Tiane contou como foi o processo de começar a engravidar: “Queríamos engravidar e fizemos várias tentativas por dois anos. Eu tenho fibromas e, por isso, seria mais difícil ter um bebê, mas não sabia que seria tanto. Não foi um momento fácil. Começamos um tratamento, entramos para a fila da adoção e logo depois descobri que estava grávida.”

Gleason ainda comentou como é viver um casamento inter-racial nos Estados Unidos “Aqui nos Estados, o racismo é mais escancarado e é encarado como liberdade de expressão. Eles acreditam que você está tendo liberdade de expressão ao falar algo assim. O Bryan nunca tinha visto o racismo de perto até casar comigo.”

Mãe sofre comentários racistas na internet: "As pessoas acham que eu sou a babá"
Mãe sofre comentários racistas na internet: “As pessoas acham que eu sou a babá” (Foto: Reprodução/Instagram)

Ela comentou de uma vez que o casal ouviu que ela não deveria se casar com Bryan apenas pelo fato de ser negra, chegando a quase bater no marido na rua por esse motivo. Pelo medo dos futuros bebês deles sofrerem ataques racistas, os dois conversaram pensando em como iria orientar os filhos, imaginando que seriam negros.

“Se fosse uma menina, iríamos explicar a questão do cabelo crespo. Já se fosse menino, iríamos ensinar a sair do carro, se algum policial o parasse. Meu marido chegou a pesquisar como pentear cabelo afro. Para nossa surpresa, quando nossa filha nasceu, ela era muito branca. As pessoas acreditam que eu seja a babá.”

A mulher ainda disse que passou a postar vídeos no TikTok mostrando a rotina dela nos EUA, mas quando compartilhou um vídeo ao lado da filha, logo começou a viralizar na rede: “Em menos de dois meses já atingi quase 170 mil. Fiquei impressionada.”

Mãe sofre comentários racistas na internet: "As pessoas acham que eu sou a babá"
Mãe sofre comentários racistas na internet: “As pessoas acham que eu sou a babá” (Foto: Reprodução/Instagram)

Mas nas redes sociais, os comentários racistas continuavam, questionando se a mulher era realmente mãe da criança. Ela disse que já chegou a ouvir de uma moça que ela seria demitida por expor a filha dos outros. Ela decidiu resolver isso de maneira mais educada, explicando a situação, mas a mulher que fez o comentário deletou a conta.

Tiane segue crescendo nas redes sociais e não pretende parar de gravar vídeos, assim como não pretende parar de trabalhar como assistente jurídica. Mas ela comentou sobre ideias de trabalhar apenas com as redes sociais mais para o futuro.