Mãe que acolheu 27 filhos adotivos diz que ‘cada um faz parte da família’

A mãe londrina Afia Choudhury, que tem quatro filhos biológicos, disse que os filhos adotivos ainda visitam e ficam na casa dela nas férias

Resumo da Notícia

  • Uma mãe inglesa acolheu 27 filhos adotivos ao longo da vida
  • Ela contou que eles são próximos dos filhos biológicos dela
  • Segundo a mãe, eles até passam as férias na casa dela

Uma mãe que criou 27 filhos com o marido ao longo de 18 anos diz que “nunca olhou para trás”, em relação à decisão dela. Afia Choudhury, natural de Londres, Inglaterra, disse que os filhos adotivos ainda a visitam regularmente e ficam na casa dela durante as férias.

-Publicidade-

Os filhos adotivos são como irmãos dos quatro filhos biológicos de Afia, e de acordo com a publicação dela no site Metro, eles inclusive estavam presentes nos casamentos uns dos outros. “O maior desafio que enfrentei é o constante malabarismo de cuidar dos meus filhos biológicos e das crianças que crio, e priorizar todas as suas necessidades”, escreveu ela.

“Dito isso, é muito gratificante e a decisão de continuar a adoção sempre foi feita com toda a família. É tanto parte da vida deles quanto da minha”, acrescentou ela. Uma das primeiras experiências de adoção de Afia começou quando ela foi convidada para cuidar de um bebê prematuro de nove semanas. Ambos os pais viviam com HIV e havia a possibilidade de o bebê também ter o vírus, e ele passou três semanas no hospital.

Ela cuidou de mais de 27 filhos adotivos
Ela cuidou de mais de 27 filhos adotivos (Foto: Reprodução Arquivo Pessoal)

“Em um instante, concordei – afinal, essa é a razão pela qual me tornei um cuidador adotivo”, escreveu Afia. “Por mais de 17 meses, eu e minha família cuidamos desse bebê e ele roubou nossos corações. Enquanto ele nos trouxe alegria completa e eu queria que ele se tornasse parte permanente de nossa família, meu sábio marido me lembrou que tínhamos sido abençoados com quatro lindos meninos e deveríamos dar a um outro casal a chance de se tornarem pais”, completou. Hoje, o menino é um adolescente e vive com a família adotiva, mas Afia e o marido ainda estão em contato regular com ele.

Afia tinha 29 anos e estava grávida do terceiro filho quando iniciou o processo de avaliação do acolhimento. Ela foi apresentada à ideia pela primeira vez quando o vizinho da mãe dela criou duas crianças. Ao longo de quase duas décadas, Alfia criou vários jovens. Alguns ficaram com ela por bons anos antes de voltarem a morar com os pais biológicos.

Segundo Alfia, os filhos adotivos e biológicos se dão bem
Segundo Alfia, os filhos adotivos e biológicos se dão bem (Foto: Reprodução Arquivo Pessoal)

Ela escreveu: “Eu me tornei parte da rede de apoio para eles e até hoje eles vêm nos ver regularmente e ficam conosco nas férias. Como família, fomos capazes de apoiá-los e ajudá-los a fazer uma transição suave de volta para seus pais.”

“As coisas que nós, cuidadores adotivos, somos capazes de fazer – como manter vínculos com pessoas importantes na vida das crianças – não são apenas benéficas para elas, mas para nós também. É a coisa mais gratificante que fiz e me conectou a tantas redes em minha comunidade, incluindo conhecer e orientar outros cuidadores adotivos”, completou Alfia, que hoje em dia também orienta outros cuidadores adotivos.

Ela acrescentou: “Eu seguro a mão deles durante todo o processo, respondendo a quaisquer perguntas que eles tenham e estou no telefone ou lá para um café sempre que precisarem de mim. Se você está atualmente como eu era há 18 anos e está pensando em adotar, peço que fale com seu serviço de adoção local – você realmente pode fazer a diferença no mundo.”

Alfia acompanhada da família
Alfia acompanhada da família (Foto: Reprodução Arquivo Pessoal)