Mãe que estava desaparecida há dois anos é resgatada com vida do mar na Colômbia

Angélica Gaitán, de 46 anos, fugiu do ex-marido em 2018 depois que ele a agrediu enquanto ela estava grávida. Desde então, nennhum membro da família tinha notícias da mulher

Resumo da Notícia

  • Uma mulher que estava desaparecida há dois anos foi resgatada do mar no último sábado por um pescador, na Colômbia
  • Angélica Gaitán, de 46 anos, fugiu do ex-marido em 2018 depois que ele a agrediu enquanto ela estava grávida
  • Desde então, nem os familiares da mulher sabiam onde ela estava

Uma mulher que estava desaparecida há dois anos foi resgatada do mar no último sábado, 26 de setembro, por um pescador, na Colômbia. Angélica Gaitán, de 46 anos, fugiu do ex-marido em 2018 depois que ele a agrediu enquanto ela estava grávida. Desde então, nem os familiares da mulher sabiam onde ela estava. No final de semana, a colombiana descobriu que o homem seria solto da prisão e ficou em choque, se jogando na água.

-Publicidade-
Angélica desapareceu em 2018 (Foto: Reprodução / RCN)

Segundo as autoridades locais, Angélica ficou 8 horas no mar antes de ser resgatada e levada para o hospital, onde os médicos averiguaram que ela estava com hipotermia e algumas outras debilitações. Em entrevista à rádio RCN, a mulher contou que queria escapar dos abusos físicos e psicológicos do antigo companheiro, com quem viveu por 20 anos.

“Os maus-tratos começaram na minha primeira gravidez. Ele agia violentamente comigo. A violência continuou na segunda gravidez, mas não podia sair de casa porque as meninas eram pequenas. Eu o denunciava, ele era preso, mas voltava para casa 24 horas depois, e se repetiam as agressões”, contou a mãe.

-Publicidade-
A mãe queria escapar dos abusos do ex-marido (Foto: Reprodução / RCN)

Após a fuga, em 2018, Angélica conta que ficou quase seis meses sem ter para onde ir. “Graças a Deus consegui escapar. Fiquei vagando pelas ruas por quase 6 meses, depois fui buscar ajuda e me mandaram para um abrigo”, explicou. A família da colombiana, que vive em Bogotá, entrou em contato com a mulher. “Eu renasci”, disse ela.

-Publicidade-