Mãe que ficou cega por 15 anos recupera a visão após descobrir diagnóstico médico errado

Connie Park, de 59 anos, começou a ter dificuldades para enxergar em 2003

Resumo da Notícia

  • Uma mãe que ficou cega durante 15 anos recuperou a visão após descobrir que recebeu o diagnóstico médico errado;
  • Connie Parke percebeu prismas prismas nas luzes dos carros enquanto dirigia em 2003 e, na época, foi diagnosticada com glaucoma;
  • Em 2018, ela retornou a um oftamologista e o médico lhe contou que seu diagnóstico estava errado.

Connie Parke, de 59 anos, foi a uma consulta de rotina ao oftamologista que mudou sua vida. Em 2018, a mulher foi ao UCHealth Sue Anschutz-Rodgers Eye Center, um centro de referência de olhos, e o médico lhe contou que, a 15 anos atrás, ela havia recebido o diagnóstico errado. A norte-americana de Aurora, Colorado, EUA, tinha cataratas muito densas nos dois olhos, que poderia ser removida facilmente através de cirurgia.

-Publicidade-

Connie começou a notar halos e prismas nas luzes dos carros enquanto dirigia em 2003, e na consulta médica disseram que seu diagnóstico era de glaucoma. Três semanas depois, ela conta ter perdido ainda mais visão e visão periférica. Após diversos exames, os profissionais de saúde avisaram que sua perda de visão era inoperável e ela ficaria cega.

“Eu não acreditei até que comecei a me machucar. Comecei a me perder, cair de escadas, e até mesmo ateei fogo em mim e na minha casa. Perdi mais de 85% da minha visão em cinco meses e meio”, conta em entrevista ao jornal britânico The Mirror.

Para sentir os filhos, Connie falava com eles desta maneira
Para sentir os filhos, Connie falava com eles desta maneira (Foto: Reprodução/The Mirror)

Desesperada para recuperar sua independência, em 2004, ela se mudou de Montana para Denver, Colorado, para frequentar uma escola para cegos. Além disso, Connie continuou realizando diversas atividades, como patinar no gelo, andar de caiaque, acampar e ir a shows.

No entanto, nem todas as tarefas do dia a dia, que antes pareciam simples, foram possíveis de serem feitas sem alguém a ajudando. “Eu não tinha muita certeza de como usar uma bengala e continuava andando em meio aos arbustos. Quando cozinhava, tinha que ter alguém comigo para ter certeza de que a comida parecia boa”, desabafa.

Descoberta do erro médico

Em uma consulta de rotina no UCHealth Sue Anschutz-Rodgers Eye Center, um centro de referência de olhos norte-americano, Connie recebeu uma surpresa: o médico contou que ela não havia retinas descoladas ou glaucoma, mas sim, cataratas densas que poderiam ser removidas e restaurar sua visão.

“Em 12 de novembro de 2021, o médico operou meu olho direito. Quando tiraram meu adesivo no dia seguinte, a primeira coisa que vi foi a sobrancelha, os cílios e a pupila da enfermeira e comecei a chorar. Acho que o médico ficou tão surpreso quanto eu, porque deixou perfeitamente claro que não estava me prometendo uma visão perfeita”, contou.

“As pessoas precisam ser reavaliadas porque eu fiquei cega por 15 anos provavelmente sem motivo. Eles fazem cirurgias de catarata há anos”, lamentou.  Connie aposentou seu cão-guia Talulah Mae para um cão normal e tem um emprego como balconista da unidade da UCHealth. Finalmente, ela pôde conhecer seus oito netos e ver o quão crescidos seus filhos estão.