Mãe que foi impedida de sair mais cedo do trabalho para buscar a filha na creche recebe indenização

A mulher entrou em processo contra a empresa e recebeu R$1,3 milhão de indenização

Resumo da Notícia

  • Mãe foi impedida de sair mais cedo do trabalho para buscar a filha na creche
  • Ela pediu demissão e entrou em processo contra a empresa
  • A mulher recebeu indenização de R$1,3 milhão

Alice Thompson, uma gerente de vendas da imobiliária Manors, em Londres, no Reino Unido, foi impedida de sair mais cedo do trabalho para buscar a filha na creche e recebeu indenização de R$1,3 milhão.

-Publicidade-

A mãe havia pedido ao chefe para trabalhar apenas quatro dias na semana e terminar às 17h, em vez de 18h. No entanto, ele recusou o pedido e afirmou que a imobiliária não poderia “dar ao luxo” a ela de trabalhar apenas meio período. Diante dessa situação, Alice pediu demissão da empresa.

Chefe impede mulher de sair mais cedo para buscar a filha na creche
Chefe impede mulher de sair mais cedo para buscar a filha na creche (Foto: Getty Images)

Devido a isso, a mulher processou a empresa em que trabalhava. O tribunal do júri afirmou que ela foi discriminada pelo impedimento de trabalhar em horários flexíveis para que pudesse cuidar da filha. “Perder o emprego inesperadamente é sempre causa de infelicidade, choque e, às vezes, raiva, conforme demonstrado pela forma como muitos funcionários reagem à demissão, mesmo quando houve uma consulta adequada, e mesmo quando nunca foi sugerido seu desempenho não era bom o suficiente”, afirmou.

“Aqui, a Sra. Thompson se ressentiu de que o trabalho flexível parecia não ser considerado adequadamente (como em nossa constatação não foi) e sentiu que isso era uma injustiça por causa de seu sexo, o que era. A maioria das mães acha difícil voltar ao trabalho após a maternidade, mesmo quando é um retorno a um trabalho familiar. A turbulência da Sra. Thompson terá sido pior porque ela teve que começar do zero para encontrar um emprego. A falta de sucesso dela a levará a uma sensação de fracasso”, concluiu.

Quando Alice informou ao chefe da empresa que estava grávida em 2018, ele começou a fazer comentários negativos sobre isso com outros os funcionário. No entanto, o diretor negou o fato.