Mãe quer mudar o nome do filho por medo dele sofrer bullying, mas marido discorda

Uma mãe foi ao Mumsnet para consultar outras mães sobre a possibilidade de mudar o nome de filho porque decidiu que não gosta

Resumo da Notícia

  • Uma mãe de um bebê de 3 meses está insatisfeita com o nome dele
  • Ela quer trocar mas o marido não concorda
  • A mulher pediu conselhos no Mumsnet

Uma mãe de um menino de 3 meses de idade pediu conselhos no Mumsnet, fórum online para mães, contando que quando o bebê dela nasceu, ela estava ‘ok’ com o nome dele, que o pai escolheu, mas hoje ela odeia e também está tendo dúvidas se deve ou não manter esse nome para o filho, já que as pessoas tem tido reações estranhas quando ela conta como ele se chama. O marido acha um absurdo ela pensar em trocar o nome.

-Publicidade-
Uma mãe está exausta por ter que cuidar do bebê e fazer jantar para o marido às 2 da manhã
Mãe quer mudar o nome do filho por medo dele sofrer bullying, mas marido discorda (Foto: Getty Images)

Ela explicou: “Com base nas reações das pessoas ao nome até agora, nosso filho vai passar a vida corrigindo as pessoas e repetindo/soletrando seu nome. Até existe um apelido baseado no nome dele, mas o quão difícil vai ser esse apelido ‘pegar’? Caso não pegue, o que devo fazer?” Embora a mãe não mencione qual é o nome no desabafo postado, ela acrescenta: “É um nome estrangeiro. O apelido é suportável até, mas eu nunca teria escolhido esse nome, pois é muito incomum no Reino Unido.”

Outras mães do fórum ofereceram palavras de sabedoria e tentaram ajudar a mãe. Uma usuária escreveu: “Você concordou, mas não concorda mais, então escolha outro nome.” Outra comentou:  “1) Se o nome já estiver registrado, eu viveria com ele e talvez tentasse introduzir um apelido. 2) Se o bebê ainda não foi registrado, eu diria ao meu marido que estou vetando o nome, e ele só tem que aceitar isso.”

Algumas pessoas responderam que ela devia se adaptar ao nome, pois nas escolas britânicas, é possível escolher no formulário de matrícula o ‘nome preferido’ que a criança deve ser chamada, e como essa regra é respeitada no país, o menino não deve sofrer bullying.