Mãe recebe alta depois de ter sido diagnosticada com covid-19 durante gravidez

Ela estava na 30ª semana de gestação quando deu entrada no hospital. Ela e o filho de três meses voltaram para casa

Resumo da Notícia

  • Ellie Wright, 20 anos, pegou covid-19 na 30ª semana de gestação
  • Leo James nasceu após uma cesariana de emergência ser realizada
  • A mãe precisou ficar em coma induzido
  • Felizmente, a família recebeu alta e voltou para casa

Ellie Wright, 20 anos, pegou covid-19 quando estava na 30ª semana da gestação de seu filho Leo James. No dia 12 de janeiro, ela precisou passar por uma cesariana de emergência, porque estava muito doente. Assim que o filho nasceu, ela precisou entrar em coma induzido e ficou três semanas internada. Quando ela conheceu o filho, Leo já estava com cinco semanas de idade.

-Publicidade-

Quando os médicos falaram que ela não conseguia respirar sozinha, a família começou a se preparar para o pior. Eles até chamaram um padre, porque os profissionais da saúde acreditaram que ela não ia sobreviver. No dia 09 de abril, ela voltou para sua casa em Walsall, na região metropolitana de Midlands Ocidentais, que fica na Inglaterra.

Mãe e filho receberam alta do hospital e se reencontraram em casa, agora ela desfruta a maternidade e segue se recuperando. Em uma entrevista para o Daily Mail, ela contou: “Ainda estou fraca, mas posso alimentá-lo, transporta-lo e dar-lhe um banho. Eu esperei tanto tempo para ser capaz de cuidar fisicamente dele. Estou melhorando, mas será uma longa recuperação. Ainda estou tomando muitos remédios e ainda tenho dificuldade para andar”.

Ela também falou que estava triste por ter perdido os primeiros meses de vida do filho, enquanto estava no hospital. “Eu dei à luz  ele dormindo, não acordei da cesárea e fui colocada em coma induzido. Eu não cheguei a vê-lo, eu não sabia como ele era. Tínhamos escolhido seu nome antes de ele nascer, então as pessoas sabiam como chamá-lo, mas tudo foi uma montanha-russa de emoções e muito com que lidar. Eu estava com medo de segurá-lo na primeira vez que pude, eu estava preocupada que ele não se apegasse a mim porque eu tinha perdido os primeiros meses de sua vida. Acho que ainda não processei tudo o que aconteceu”.

Ellie relembrou como foram as semanas que estava em coma: “Eu alucinei muito quando estava em coma e só agora, quando estamos conversando sobre as coisas, eu percebo que ouvi conversas. Eu sei que ouvi minha mãe dizer que ela não estava preparada para me enterrar, o que ela disse quando eu estava em coma”. Ela contou sobre os dias após acordar: “Ainda estou tentando juntar as peças, mas as enfermeiras começaram a escrever um diário para mim desde quando fui admitido, o que ajudou a preencher as lacunas e, felizmente, pude receber visitas para que pudesse me relacionar com Leo antes de foi capaz de voltar para casa. Eu nunca poderia ter imaginado tudo que eu fui embora. Eu não mudaria Leo por nada no mundo e estou ansioso por nosso futuro juntos”.

Depois que ela teve alta, ela ainda relatou algumas dificuldades para realizar tarefas simples: “Não sei quanto tempo vou levar para me recuperar totalmente. Eu tenho uma grande perda de músculos, eu estive fora de meus pés por muito tempo. Preciso caminhar muito e recuperar o equilíbrio”.

A mãe de primeira viagem contou que já tem alguns passeios planejados para fazer com o filho e com o marido quando melhorar. “Quero levá-lo para passear no carrinho que ainda está na caixa. Eu queria montar e levaria meu filho em sua primeira caminhada e aventura e quero levá-lo ao zoológico”.

Michelle, mãe de Ellie, agradeceu pela filha estar viva e falou sobre a mãe que ela se tornou: “Ela é uma mãe incrível. Ela está fazendo tudo o que pode fisicamente por ele e nós a ajudamos a ficar mais forte a cada dia”.