Mãe reencontra 4ª das 5 filhas doadas há 35 anos: “Sei que ela vai aparecer”

Em um desabafo de aquecer o coração, Marlene dos Santos comemorou ao achar uma das filhas caçulas e não perdeu as esperanças em ver Queli, que foi doada aos 2 anos de idade

Resumo da Notícia

  • Marlene dos Santos reencontrou quatro das cinco filhas
  • As meninas foram doadas pelo pai quando eram crianças
  • Após a morte de Manoel Pereira Gomes, as filhas perderam o contato com a mãe biológica

Marlene dos Santos, de 65 anos, iniciou uma busca dolorosa para reencontrar as cinco filhas, que foram doadas pelo ex-marido há 35 anos. Quando eles se separaram, a mãe não tinha condições de criar as meninas, que acabaram ficando com o pai, Manoel Pereira Gomes.

-Publicidade-
Marlene reencontrou 4 das 5 filhas (Foto: reprodução / G1)

Logo após doá-las, o homem, que era alcoólatra, acabou morrendo e as filhas perderam o contato com a mãe biológica. Felizmente, a história teve um bom final e até o momento Marlene já conseguiu ver quatro das cinco filhas.

Em entrevista ao G1, a mãe desabafou: “Eu tenho muita esperança de encontrar a minha filha. Já encontrei uma com a graça de Deus e agora tô esperando muito ansiosa chegar a outra. Não sei por onde anda, mas sei que Deus tá cuidando dela pra mim. Eu sei que ela vai aparecer”.

-Publicidade-
As meninas foram doadas pelo pai há 35 anos (Foto: reprodução / G1)

A família, que vive no interior do Rio de Janeiro, ficou bastante emocionada com o reencontro. “Eu fiquei muito feliz que depois de 35 anos ter encontrado minha filha. Agora tenho esperança de encontrar a outra pra eu tirar essa angústia de dentro de mim dia e noite no meu coração. [Quero] ver elas juntas pra aliviar meu coração”.

Quando a doação aconteceu, a filha mais velha, Neidimar, contou que o intermédio aconteceu entre o pai e famílias que não podiam ter filhos: “Eu não sei como foi a conversa com meu pai. Ele bebia muito. Eu não sei como foi, mas através do meu pai eles conseguiram pegar a Queli e a Michele”.

Essa é a única foto de Queli que a família tem (Foto: reprodução / G1)

Michele, uma das caçulas da família, reencontrou a mãe e as irmãs na semana do Dia das Mães, e quando o exame de DNA comprovava o parentesco, o momento foi ainda mais de festa: “Fiquei sabendo por e-mail e liguei pra minha mãe e irmãs. Elas estavam indo buscar o exame, mas eu contei o resultado e foi uma festa! Na semana seguinte eu fui pra lá pra encontrar todo mundo”, disse emocionada lembrando do momento.

Em entrevista ao Fantástico, que aconteceu no último domingo, 30 de agosto, Marlene não perdeu as esperanças de encontrar Queli, que teria sido deixada em uma caixa de papelão em baixo de um viaduto. “Fica uma felicidade incompleta, está faltando um pedaço da gente ainda”, completou Neidimar.

-Publicidade-