Mãe relembra desaparecimento do filho após 5 anos: “Já perdi as esperanças”

Brayan estava para completar 2 anos e após o desaparecimento, já foi visto em 3 estados diferentes ao longo desses anos

Resumo da Notícia

  • Brayan sumiu enquanto brincava perto de um rio
  • Os bombeiros falaram da chance do garoto ter caído no local
  • Porém os pais acreditam que Brayan foi sequestrado

O bebê Brayan Raab Fonseca desapareceu no dia 19 de julho de 2017 e a família falou para o portal Ricmais sobre o caso depois de 5 anos de procura do menino.

-Publicidade-

A mãe dele, Katrini Raab Rocha disse: “Eu não acredito que algum dia eu vá encontrá-lo, eu já perdi a esperança”. O garoto desapareceu com 1 ano e 11 meses, em Cerro Sul, em Curitiba. Ele morava perto de um rio e estava brincando quando sumiu.

O menino estava para completar dois anos. O rio Ribeira que é perto de onde ele estava brincando, passa a 70 metros da residência da família. Conforme informações dos bombeiros, tem 50% de chances de Brayan ter caído na água.

No entanto, os pais acreditam que o garoto foi raptado. O pai dele, Isaías Rodrigues da Fonseca Neto até argumentou sobre a possibilidade: “Primeiro, que o Bryan não ia pular em um rio e ele não andava no mato. Segundo, o que o bombeiro falou para gente, que uma criança naquela idade para ele chegar no rio ia demorar em média de oito a 10 minutos, se ele chegasse lá. […] Se o Brayan tivesse ido pro rio, ele seria achado no caminho”.

O menino estava prestes a completar 2 anos quando desapareceu (Foto: Reprodução/ Secretaria da Segurança Pública)

A mãe acha que algum vizinho possa ter levado o menino. “Acredito que seja alguém do bairro onde a gente morava, alguns dos vizinhos. No dia não passou nenhum carro estranho, não tinha pessoas estranhas por lá porque eram poucas famílias que moravam próximas”.

Ao longo desses 5 anos, algumas pessoas relataram que viram um menino parecido com Brayan em Santa Catarina, no Paraná e no Mato Grosso do Sul, e por coincidência, ele sempre estava com uma mulher morena. Todas as vezes que o Bryan foi visto, foi sempre com essa mesma mulher, uma senhora morena onde ela sempre chamava ele de filho”, contou o pai para o veículo.

Depois de 3 anos do desaparecimento, o pai e a mãe de Brayan decidiram ter uma filha e ela está com dois anos. Por fim, a mulher disse: “Como hoje a gente tem internet, eu acredito que anos mais tarde ele vai nos encontrar. Talvez ele queira buscar a história dele, não sei que história foi inventada para ele”.