Mãe se revolta após carro de brinquedo da filha ser guinchado na praia

O “Herbie de Brinquedo” era de uma menina de 7 anos que estava à passeio com a família no local

Resumo da Notícia

  • Carrinho de brinquedo foi guinchado pela Polícia em Santa Catarina
  • O "Herbie" era de uma menina de 7 anos
  • A mãe da criança se revoltou com a situação

No último sábado, 1 de dezembro, um “Herbie de brinquedo” de uma criança de 7 anos foi guinchado pela Polícia Militar, em Itapoá, litoral norte de Santa Catarina. A família da menina mora em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba e estava passando o fim de ano no local.

-Publicidade-

A mãe da menina, Simone França, se revoltou com a situação. Ela deu uma entrevista à Banda B e lamentou sobre o ocorrido. “Eles estavam parando um ‘carrinho’ daqueles, sendo que tinha gente passando bêbada, carros rebaixados, triciclos passando correndo, sabe… e eles não fizeram nada”, disse ela ao portal.

“Foram mexer com um carrinho, dizendo que era uma criança que estava o conduzindo, mas não. […] Ela estava no cantinho e o pai estava no freio, acelerando; os dois com as mãos no volante. Em nenhum momento ela estava dirigindo na principal, sozinha […]. O policial foi muito grosso, mal-educado. A população olhava e ficava revoltada”, continuou.

Carrinho de brinquedo é guinchado pela PM
Carrinho de brinquedo é guinchado pela PM (Foto: Reprodução / Banda B)

Ela também afirmou que não havia recebido orientações sobre a circulação do carrinho de brinquedo na rua. “Eu perguntei para ele como fazia para retirar o carrinho”, comentou. “Até então, o carrinho tinha um adesivo simulando a placa. O policial foi puxar no sistema o adesivo […]”, afirmou.

“Então, ele falou do IPVA e do licenciamento do carro. Eu falei que não porque como o faria se o carro não tem chassi. Foi quando minha filha começou a gritar porque o policial disse que nunca mais iria tirar o carrinho do pátio. Na delegacia, o capitão disse para eu pegar um advogado e uma liberação junto ao juiz, mas, até agora, tudo está parado”, contou.

“Ninguém sabia que poderia andar naquela rua que vai à praia. Foi quando nós estávamos andando, a polícia veio e mandou parar. […] Nesse momento, o policial já veio chamando o guincho. Eu falei para ele (PM) que nós estávamos comboiando, o brinquedo possui nota fiscal, ela [filha de sete anos] anda sempre porque é o brinquedo dela. O policial nem quis saber e disse que eu estava botando em risco a vida da minha filha, mesmo ela não estando sozinha”, finalizou.

A Polícia Militar de Santa Catarina não se pronunciou sobre o assunto, portanto ainda não há mais informações a respeito do ocorrido.