Mãe semianalfabeta se emociona em vídeo após saber que filha passou em mestrado: “Orgulho grande”

Jovem emocionou a mãe ao contar uma grande notícia que sonhava muito em conquistar no Rio de Janeiro

Resumo da Notícia

  • Ramila Alencar emocionou sua mãe ao contar que passou no mestrado em saúde pública e meio ambiente
  • A mãe e filha contam como foi passar por situações difíceis para que a menina pudesse terminar os estudos
  • Ramila passou em seis vestibulares diferentes alguns quando ainda estava no segundo colegial

Luíza Cristina Alencar, se emocionou quando ficou sabendo que sua filha Ramila Alencar passou no mestrado em saúde pública no Instituto da Fiocruz, no Rio de Janeiro. “Valha, meu deus… Tu vai me abandonar?” Essa foi a pergunta que a mãe fez logo depois de descobrir a notícia.

-Publicidade-

As duas passaram por momentos difíceis, e tiveram que lidar com tudo sozinhas, pois o pai de Ramila foi assassinado quando ela tinha apenas 6 anos. Desde então, a mãe sempre incentivou a filha a focar nos estudos, e reforçou que o que as tirariam daquela situação eram os estudos. “…Eu dizia ‘estude, minha filha, você não tem pai, sua mãe sou só eu, ninguém sabe o dia de amanhã” contou a mãe de Ramila em entrevista ao G1.

Trecho do vídeo em que Ramila conta à sua mãe a notícia do mestrado (Foto: Reprodução/G1)

Luíza e Ramila moram na zona rural de Pio IX, uma cidade com menos de 20 mil habitantes, e 400 km de distância da capital Teresina. Durante o ensino médio, Ramila tinha que percorrer 50 km em um “pau de arara” (picape que transportava pessoas na carroceria), ela passava por chuva, lama, além dos riscos que infringiram o Código de Trânsito Brasileiro.

“Saía 11h da manhã e voltava 20h, às vezes com fome, mas tudo pra concluir o ensino médio. Ia naquele carro só com capota, pegando sol, chuva, lama, e colocando até a vida em risco para conseguir estudar” contou Ramila. Logo após a filha ganhar uma bolsa de estudos para fazer faculdade, as duas se mudaram para a zona urbana da cidade, foi então que a mãe começou a trabalhar de doméstica e Ramile de babá.

O pai de Ramila foi assassinado quando ela tinha 6 anos (Foto: Reprodução/G1)

A menina conseguiu passar em seis vestibulares diferentes, sendo alguns deles: “Fisioterapia”, “Administração”, “Engenharia Agronômica” e até mesmo “Direito”. Porém o curso escolhido foi “Biologia” na Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Ramila tinha paixão pelas pesquisas, ela queria contribuir para o SUS, e a saúde pública, estudou os vírus da dengue, zika, chikungunya, e outras doenças emergenciais que afetam principalmente a população mais pobre que não tinha acesso ao saneamento básico.

Em meio a pandemia ela foi aprovada em sétimo lugar dentre os 100 candidatos, para realizar seu mestrado na Fiocruz em saúde pública e meio ambiente. Ela gravou o vídeo que repercutiu nas redes sociais, em que conta a notícia para a mãe, que se emociona.

Ramila é apaixonada por pesquisas e espera contribuir para o SUS (Foto: Reprodução/G1)

Por fim, Ramila deixa uma mensagem a todos: “Seja qual for o seu sonho, casar, ter filhos, construir uma família, ter casa própria, comprar um carro, abrir o próprio negócio, ser famosa, blogueira etc. Apenas acredite e não desista dele. Eu conquistei tudo isso academicamente, porque fiz dos estudos minha meta de vida, o meu sonho e minha saída para burlar o sistema. Mas seja qual for o seu sonho, invista nele. Acredite em você, nos seus sonhos, você é capaz, somos capazes”