Mãe solo esclarece divórcio para as filhas: “Por que não tem pai na nossa casa?”

É normal que as crianças tenham muitas dúvidas em relação ao divórcio, pro isso precisam de alguém com paciência e compreensão, para esclarecê-las. A mãe, Michelle Lim, fez um relato sobre como ajudou as filhas a entender o assunto

Resumo da Notícia

  • Ter pais divorciados pode ser uma situação que muitas crianças não conseguem gerenciar por conta própria
  • Por isso, é  normal que elas tenham muitas dúvidas e precisem de alguém, com paciência e compreensão, para esclarecê-las
  • A mãe, Michelle Lim, passou por essa situação ao ser questionada pelas filhas e decidiu abrir o coração e fazer um relato sobre o assunto

Ter pais divorciados pode ser uma situação que muitas crianças não conseguem gerenciar por conta própria. Por isso, é  normal que elas tenham muitas dúvidas e precisem de alguém, com paciência e compreensão, para esclarecê-las. A mãe, Michelle Lim, passou por essa situação ao ser questionada pelas filhas e decidiu abrir o coração e fazer um relato para o Love What Matters.

-Publicidade-
Ela ficou sem reação quando as filhas perguntaram sobre o pai (Foto: Arquivo pessoal / Reprodução Love What Matters)

“’Por que o pai não fica em nossa casa?’ Essa foi uma pergunta que surgiu recentemente da minha filha. Embora ela possa não falar tão bem quanto uma criança mais velha, pode acreditar que ela tem muito em que pensar. Como eu respondi? Por um lado, não era um assunto fácil de explicar para uma menina. Nunca esperei que a pergunta viesse tão cedo, ou que eu precisasse preparar uma resposta tão cedo.

Então, tudo que eu disse foi: ‘Bem … ele não fica aqui, e algumas famílias são assim. Não há nada de errado com isso! Às vezes, uma mãe e um pai não podem se dar bem juntos e, então, eles não ficam juntos. Mas você tem um pai. Ele cuida de você como pode, e isso é tudo que você precisa saber por enquanto. Tudo que eu quero para você é ser feliz.”, disse.

-Publicidade-

A mãe conta tentou confortar a filha e ao perguntar se ela era feliz mesmo sem o pai em casa, ela acenou com a cabela em afirmação.  “Eu tinha muito mais coisas na cabeça, mas  eu sabia que não podia falar. Como a verdade por trás do porque pai não está mais por perto. Como eu odeio, sou a única que lhes ensina disciplina e valores, enquanto o pai delas vem uma vez por semana para brincar de ‘Pai do Ano’, onde tudo e qualquer coisa está bem”, desabafou.

Michelle e a filha mais velha (Foto: Arquivo pessoal / Reprodução Love What Matters)

Michelle conta que apesar de ter sentimento pelo ex-marido, pensa em fazer o melhor para as filhas. “Tenho sentimentos confusos sobre eles ainda quando o vejo. Por um lado, é ótimo que eles pelo menos saibam quem é o pai. Mas, por outro lado, eu carrego o peso sozinha da paternidade. Às vezes, desejo que minha filha não cresça tão rápido, para que ela possa permanecer nesta fase inocente da vida. Mas, por outro lado, quero que ela cresça para que ela descubra a verdade e para que eu não precise mais esconder isso atrás de um sorriso dolorido e cansado”, ressaltou.

Ela ainda conta que se pergunta como vai explicar o motivo do divórcio para as filhas um dia. “Qual é a verdade sobre o pai delas? Não há um resumo adequado das provações e fases turbulentas pelas quais passamos. Então, quando as meninas forem grandes o suficiente e começarem a se perguntar por que, como eu responderia? Freqüentemente, tenho representado o cenário de como explicaria as coisas em minha cabeça. Começando com como todo casal começa a se apaixonar, e sim, definitivamente tivemos nossos bons momentos. No entanto, houve muitas fases ruins que ignorei ao longo dos anos com o pai delas. Das diferenças culturais (ele e sua família são chineses muito tradicionais e eu fui criado com crenças ocidentais) até como as finanças eram administradas”, disse.

Ela abriu o coração (Foto: Arquivo pessoal / Reprodução Love What Matters)

A mãe contou detalhes sobre o motivo da separação. “Da minha parte, continuei pensando que resolveríamos as coisas à medida que crescêssemos e amadurecêssemos juntos. Mas o pai delas começou a andar com o grupo errado e a passar cada vez menos tempo em casa. A responsabilidade de cuidar da casa, das contas e dos filhos era totalmente minha. Ele roubou pertences das crianças e meus para  vender, além de tirar dinheiro de mim. O limite foi quando descobri que ele não estava apenas usando meu dinheiro para desfrutar de atividades de lazer sem a família, mas também me traiu várias vezes. O pai deles finalmente disse que queria o divórcio, pois não sentia mais nada por mim. Ele desistiu de nós quando eu ainda não tinha. Foi quando decidi que minhas filhas e eu merecíamos uma vida melhor e precisava me amar mais. Por enquanto, tudo que posso fazer é cuidar deles e deixar a infância o mais despreocupada possível.”, contou.

“O que quero dizer é que não precisa não intoxicar a mente do filho dizendo que o pai dele é ruim. Que eles deveriam odiá-los e desprezá-los. Eles vão crescer em no próprio tempo. Para poder enxergar tudo isso, tive que aprender a me valorizar e amar mais. Eu precisava saber como cuidar de mim antes de poder cuidar melhor das minhas filhas”, ressaltou.

Ela ainda deixou um recado para outros pais. “Como pais, devemos lembrar que também somos importantes. Nossas vidas podem parecer girar em torno de nossos filhos o tempo todo, e gira. Mas nunca devemos nos esquecer de nós mesmos. Se minhas filhas querem amar o pai ou não no futuro, depende inteiramente delas. Porque acredito que, no futuro, quando aprenderem sobre a verdade, terão idade suficiente para tomar as próprias decisões. Até então, fique feliz e crie memórias felizes com eles em os preciosos dias de infância”, finalizou.

    -Publicidade-