Mãe toma medida trágica com os filhos por fobia de vômito

O transtorno surgiu quando ela tinha 24 anos e perdeu uma de suas avós

Resumo da Notícia

  • Lisa Partington é possui um medo irracional de vômitos
  • A fobia da mãe prejudica diretamente no relacionamento dela com os filhos e o marido
  • O transtorno surgiu quando ela tinha 24 anos e perdeu uma de suas avós

Lisa Partington é uma mulher britânica que possui um medo irracional de vômitos. A fobia iniciou quando ela tinha 24 anos, e hoje, com 36 anos e dois filhos, ela sofre para lidar com os cuidados das crianças, principalmente quando elas estão doentes.

-Publicidade-

A fobia da mãe prejudica diretamente no relacionamento dela com os filhos e o marido. O transtorno chamado emetofobia, que é o medo irracional de vomitar, ver outras pessoas vomitando ou regurgitar na frente das pessoas. O medo de Lisa, ainda é acompanhada por TOC (Transtorno obsessivo-compulsivo), ansiedade e transtornos alimentares.

O transtorno surgiu quando ela tinha 24 anos e perdeu uma de suas avós, da qual ela era bastante próxima. Assim como atrapalha sua relação atual, o medo irracional afetou os outros relacionamentos da britânica. Em entrevista ao Daily Mail, ela contou a dificuldade em lidar com os seus filhos, que começou logo na gestação, quando ela já tinha medo dos possíveis enjoos causados pela gravidez. Por sorte, ela não teve esses sintomas enquanto estava grávida de seus filhos de 4 e 7 anos.

A mulher possui emefobia, que é o medo irracional de vômito. (Foto: Reprodução / Daily Mail)

Apesar da gravidez não ter sido um problema, ela enfrenta dificuldades quando os filhos ficam doentes, não conseguindo cuidar deles. “Se um deles está doente, não posso ficar perto. Então, meu marido cuida de um enquanto eu lido com o outro. Muitas vezes, eu me sinto uma péssima mãe, porque há coisas que não posso fazer e eu sei que isso afeta meus filhos”, explicou Lisa.

Além do impacto na relação com seus filhos, ela sente que, de alguma forma, o transtorno também gera um impacto no casamento com o marido. “Minha vida inteira é planejada em torno de meus filhos, o que torna tudo realmente difícil, se fico absolutamente aterrorizada por estar perto deles”, disse a mãe. Lisa contou que até chegou a pedir ao marido que ele a deixasse e fosse viver uma vida normal sem ela.

Tratamento

A britânica iniciou um tratamento especializado para auxiliar na emetofobia. Ela até contou que após o início das sessões, ela conseguiu fazer uma viagem longa com sua família para poder visitar sua mãe. “Tenho esperança de que eu vá trabalhar minha fobia através do programa de tratamento, e não apenas esperar que meus filhos se tornem adolescentes e consigam cuidar de si mesmos”, falou Lisa.