Mãe vai parar na prisão após se recusar a deixar quarto da filha hospitalizada: “Eu preferiria ficar lá do que saber que deixei a minha filha para trás”

Lynn Amber foi acusada de “invasão” e foi presa, após se recusar de deixar a filha sozinha depois que ela havia passado por uma cirurgia cerebral em um hospital na Flórida

Resumo da Notícia

  • A ex-xerife de Ohio, Lynn Savage, foi presa após se recusar a deixar o quarto da filha hospitalizada
  • O horário de visitas era até as 19hrs, e Lynn contou que a administração do hospital não havia autorizado que permanecesse ali
  • A mãe de Amber afirmou ainda que, apesar da terrível experiência, ela não se arrepende de ter lutado para ficar ao lado da filha

A norte-americana Lynn Savage, de 70 anos de idade, foi presa após se recusar a deixar o quarto da filha, Amber, em um hospital localizado no Estado da Flórida. A mulher foi acusada de “invasão” por parte da administração do local porque havia extrapolado o horário de visitas.

-Publicidade-

Desde as 6h30 da manhã, Lynn estava no hospital UF Health North, situado na cidade de Jacksonville, para ajudar nos cuidados da filha que tinha passado por uma cirurgia cerebral e que, além disso, enfrenta atualmente uma paralisia do lado esquerdo do corpo. Para auxiliar na comunicação de Amber, a mulher foi convocada para permanecer no quarto de UTI da garota a fim de tranquilizá-la após o procedimento médico.

Hospital UF Health North aonde Lynn e a filha se encontravam
Hospital UF Health North aonde Lynn e a filha se encontravam (Foto: Reprodução Arquivo Pessoal/WFox)

O horário de expediente do local que permite o horário de visitas no hospital se encerra às 19h, porém a mãe pediu para que um médico fosse chamado  para que assim ela permanecesse no quarto ao lado da filha. Entretanto, o pedido foi negado e, com isso, Lynn se recusou a deixar o ambiente depois da decisão, alegando que: “(…) em boa consciência e coração, não poderia deixar o seu leito sem saber como ela passaria a noite”.

Depois de horas de negociação para que a mãe deixasse o local, os superiores do centro médico da UF Health North decidiram ligar para a polícia, fazendo com que Lynn, que é ex-xerife do condado de Stark, em Ohio, fosse levada à prisão. “Não me arrependo de tê-los feito me tirarem de lá com algemas”, disse Savage em entrevista à WKRC.

Lynn conta em entrevista à WKRC sobre o acontecimento que a levou à prisão
Lynn conta em entrevista à WKRC sobre o acontecimento que a levou à prisão (Foto: Reprodução Arquivo Pessoal/WFox)

A mãe de Amber contou ainda que ficou um dia aprisionada nas grades de uma cadeia de Jacksonville, e concluiu que, apesar da experiência ter sido terrível: “(…) eu preferiria ficar lá do que saber que deixei a minha filha para trás”.