Mães que trabalham fora após a chegada dos filhos têm menos perda de memória

O estudo conduzido por Elizabeth Rose Mayeda revelou que mães que trabalham com remuneração têm menos chances de perder a memória.

Resumo da Notícia

  • Mães que trabalham fora depois dos filhos têm menos perda de memória
  • Essa mudança na memória é percebida a partir dos 60 anos
  • O tempo que elas demoram para retornar não influencia a perda de memória

Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia mostra que o  trabalho remunerado praticado na idade adulta e na meia-idade pode ajudar na prevenção contra a perda de memória.

-Publicidade-
Mães que trabalham sendo remuneradas (Foto: Getty Images)

A pesquisa foi publicada nesta quarta (4), na edição online da revista americana Neuroly, a responsável por realizar as entrevistas, acompanhar o processo e estudar o comportamento dessas mães foi a professora e assistente de epidemiologia Elizabeth Rose Mayeda.

No total, 6.189 mulheres foram avaliadas e a idade média delas era de 57 anos. Elas foram divididas em cinco grupos, sendo eles: mães casadas trabalhadoras, mulheres trabalhadoras que não tinham filhos, mães solteiras trabalhadoras, mães casadas não trabalhadoras e mães solteiras não trabalhadoras. Ela foram acompanhadas por volta de 12 anos e realizavam testes de memória a cada dois.

-Publicidade-

“Embora não haja debate de que administrar uma casa e uma família pode ser um trabalho complexo e de tempo integral, nosso estudo sugere que o envolvimento em trabalho remunerado pode oferecer alguma proteção no que diz respeito à perda de memória” – afirmou Mayeda.

Os cientistas descobriram que a pontuação de memórias de mulheres entre 55 e 60 anos eram semelhantes, entretanto após os 60 anos essa pontuação era, em média, 50% menor entre as mães que não trabalhavam de maneira remunerada após terem seus filhos.

-Publicidade-