Mães se revoltam após buffet fechar portas e deixar crianças sem festa em Santo André

O proprietário do estabelecimento se recusou a dar uma justificativa

Resumo da Notícia

  • Um buffet fechou as portas sem explicação em Santo André
  • Mais de 40 famílias ficaram sem festas e não tiveram o dinheiro de volta
  • O proprietário do estabelecimento se recusou a dar uma justificativa

Imagina a frustração de uma criança ao chegar o grande dia de sua festa de aniversário e simplesmente não acontecer, porque o buffet fechou as portas sem motivo, deixando diversos pais na mão. Foi o que aconteceu em Santo André, região metropolitana de São Paulo.

-Publicidade-

O local colocou um documento oficial na porta explicando que havia uma dívida de R$144 mil em aluguéis atrasados. “Quando chegou a pandemia, a gente teve que remarcar, tem uma lei que protege os buffets, então foi sendo remarcado. No ano passado eu já tinha feito a marcação da data, mas veio a pandemia de novo, esse ano entrei em contato com eles e tava tudo certo a data.”, disse uma mãe ao R7.

“Em janeiro agora eu fiquei conversando com eles, escolhendo decoração, tava tudo certo. A decepção veio em uma postagem do Facebook”, finalizou a mãe. Na publicação o estabelecimento dizia que não seria possível realizar as comemorações porque o prédio estava interditado.

Publicação feita pelo estabelecimento no Facebook
Publicação feita pelo estabelecimento no Facebook (Foto: Reprodução/R7)

As mães tiveram um prejuízo financeiro de R$2 mil a R$6 mil, incluindo todas as despesas da festa. Pelo menos 40 famílias estão revoltadas com um buffet que fechou as portas sem dar satisfação e deixou os clientes, com festas contratadas, na mão. Além da perda de dinheiro, por envolver crianças o dano foi maior ainda, por conta do emocional delas.

Uma das mães contou que mesmo sem poder, ela parcelou a festa do filho em outro buffet apenas para o garoto não ficar 3 anos sem comemoração. A revolta aumenta porque o proprietário do local não atende as ligações, apenas uma vez Cleber atendeu a chama de uma mãe onde dizia que devolveria o dinheiro da festa.

“Isso que eu to falando para você, eu vou pagar em 12 vezes, tá? Vou fazer um contratinho, reconhece firma e vou pagar em 12 vezes.”, disse Cleber no áudio. As mães criaram um grupo para recolher provas e processar o proprietário pela falta de comprometimento e por roubar o dinheiro delas.