Mais de 50% da população brasileira é imunizada contra a Covid-19

Brasil superou a marca de 50% da população vacinada contra a Covid-19

Resumo da Notícia

  • Brasil superou a marca de 50% da população vacinada contra a Covid-19
  • De acordo com o IBGE, 109,9 milhões de brasileiros já receberam as duas dose ou a vacina de dose única
  • Mais de 70% dos brasileiros já receberam a primeira dose

Nesta última terça-feira (19), o Brasil teve mais de 50% da população completamente vacinada contra a Covid-19, segundo o departamento de informática de informações do Sistema Único de Saúde, o DataSUS. Desde que o país teve o processo de vacinação acelerada, houve uma queda dos números de casos e morte da doença.

-Publicidade-

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 109,9 milhões de brasileiros já receberam as duas doses da vacina ou foram protegidos à dose única, já 51,42% estão protegidos contra a doença. Já 151,5 milhões já receberam a primeira dose, representando mais de 70% da população.

Brasil alcança a marca de 50% da população vacinada
(Foto: Getty Images)

“Significa um excelente avanço, percebemos os resultados dessa vacinação na diminuição de óbitos, internações, enfim de quadros graves. Mas também significa que temos de completar o caminho. Estamos no meio dele, a meta do ministério é chegar a 90% das pessoas com duas doses. Hoje estamos mais perto disso”, afirmou a médica, vice-presidente da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações), Isabela Ballaiai.

“Há uma desaceleração importante dos números da epidemia no Brasil e é fruto dessa imunidade que está sendo gerada na população, que tem dois responsáveis: a vacina e o número de curados. À medida que a população completa o esquema vacinal, vemos as curvas de casos e mortes cair de forma inversamente proporcional. Além, é claro, do próprio número de pessoas que foram infectadas, sobreviveram e se somam aos indivíduos vacinados, o que promove o aspecto de imunização populacional”, disse o virologista Flavio Guimarães Fonseca, professor da Universidade Federal de Minas Gerais e presidente da SBV (Sociedade Brasileira de Virologia).

“A vacina diminui a circulação do vírus entre a população. Quanto menos circulação do vírus, menos multiplicação. Quanto menos multiplicação, menos possibilidade de mutação e menor a probabilidade de surgirem variantes importantes. Mesmo sem evitar a doença, a vacina diminui o número de pessoas que vão ser infectadas, com isso se reduzem a circulação e a taxa de transmissão do vírus”, explica Flavio Fonseca.

Para o controle total da pandemia no Brasil, é necessário que ocorra a vacinação das crianças de forma acelerada e também conscientizar a população sobre a importância disso. Também é válido ressaltar que, as vacinas contra a Covid-19 não inibem a infecção, e sim, mortes e gravidade causada pela doença.