Família

Mais de 70% dos casos de violência sexual contra crianças acontece dentro de casa: saiba como proteger seu filho

Maio é o mês do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Samirah Fakhouri

Samirah Fakhouri ,filha de Rose e Fauzi

(Foto: Getty Images)

Neste sábado (18), foi o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. No Disque 100 os dados mostram que, só no ano passado, foram registradas 17 mil denúncias de violência sexual contra menores. A maior parte delas é de abuso sexual. Os dados mostram que mais de 70% dos casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes são praticados por pais, mães, padrastos ou outros parentes das vítimas. Em mais de 70% dos registros, a violência foi cometida na casa do abusador ou da vítima.

Como ensinar as crianças sobre abuso sexual

É comum — mas não normal — se deparar com notícias sobre abuso sexual contra crianças e adolescentes. São casos que podem envolver desde desconhecidos até pais, padrastos, professores e líderes religiosos. A violência vem de qualquer lugar e é isso que mais assusta. Denuncie, compartilhe, debata e até grite, se necessário. Ligue para o Disque 100 quando suspeitar de algo.

Vinculado à Secretaria de Direitos Humanos, o Disque 100 é um serviço que oferece proteção a crianças e adolescentes vítimas de violência sexual e atua como poio, denúncia, amparo e orientação em todo o Brasil para apurar os fatos, proteger o menor e punir o criminoso. O canal funciona 24 horas por dia, sete dias por semana.

Vídeos explicam para as crianças a diferença entre carinho e abuso sexual. Você já conversou com seu filho sobre o que é abuso sexual? O tema é bastante delicado, mas as crianças precisam se sentir seguras para contar aos pais ou para pessoas de confiança quando alguém tenta tocá-las de forma inapropriada ou até abusá-las de alguma forma. Por se tratar de um assunto que ainda é considerado tabu, muitas pessoas ignoram o problema. Só que é muito importante dizer para seu filho que, sempre que ele se sentir incomodado com algum toque, ele deve dizer “não” e contar imediatamente para alguém de confiança o que está acontecendo.

Pensando nisso, a Rede Marista de Solidariedade e o Centro Marista de Defesa da Infância lançou dois vídeos que orientam as crianças sobre a diferença entre um carinho, um abraço entre familiares e amigos e o abuso sexual.

Assista e chame seu filho para ver também:

 

Leia também: 

Menina de 10 anos faz desenho na escola denunciando abuso sexual do pai 

Jovem faz relato sobre abuso desumano sofrido na infância: “Dormia na casinha da cachorra”

Menina de 11 anos denuncia avô por estupro após palestra sobre abuso sexual na escola