Marcella Fogaça abre o coração após filha chamá-la de mãe pela 1º vez: “Ainda estou sem acreditar”

A cantora é mãe de Pietra e Sophia, fruto do relacionamento com o ator Joaquim Lopes

Resumo da Notícia

  • Marcella Fogaça comentou sobre a filha ter a chamado pela primeira vez
  • Ela abriu o coração nas redes sociais e escreveu uma reflexão após o episódio
  • A cantora é mãe de Sophia e Pietra

A cantora e compositora, Marcella Fogaça, mãe das gêmeas Sophia e Pietra, costuma compartilhar a rotina com a família nas redes sociais, além de textos cheios de amor! Nesta quarta-feira, 02 de janeiro, ela abriu o coração ao falar sobre a primeira vez que uma das filhas a chamou de “mãe”, e aproveitou a oportunidade para fazer uma reflexão de arrepiar a respeito da situação.

-Publicidade-

“ ‘Mamamamamama’ Foi o que eu ouvi ontem da Pietra. E hoje eu acho que ela repetiu. Ainda estou sem acreditar, esperando ouvir mais vezes pra ter certeza que foi isso mesmo. É um dos maiores acontecimentos da minha vida, então eu preciso ter certeza absoluta, antes de abrir a porta pra enchente de emoções decorrente disso.”, começou escrevendo a mãe de primeira viagem.

Depois do episódio marcante, Marcella escreveu um texto a respeito de arrepiar
Depois do episódio marcante, Marcella escreveu um texto a respeito de arrepiar (Foto: Reprodução Instagram @marcellafogaca)

De acordo com Marcella Fogaça, tudo aconteceu após ela ter levado as meninas para uma roda de música e o professor ter pregado etiquetas com os nomes de cada participante. A artista disse que esqueceu de tirar o papel que estava colado em sua blusa, mas decidiu pegá-lo para ler para Pietra. Após o ato, a esposa de Joaquim Lopes conta que aquele nome não lhe pertencia mais, após o parto das duas crianças.

“E vi que aquele nome não fez nenhum sentido pra ela. Era apenas uma palavra qualquer como samambaia ou estante. Pra ela eu sou mamãe, ou mamamama… e foi a primeira vez que de fato eu vi a ruptura que existe e que vai perdurar por anos, até que elas entendam que ‘mamama’ também é Marcella, que Marcella tbm é uma pessoa, que antes de ser mamãe teve uma vida toda só dela. Me senti por alguns segundos do tamanho daquela etiqueta. Amassada, meio apagada, tentando se agarrar aos últimos resquicios de cola que poderiam liga-la em algum lugar”, continou.

“Por onde anda Marcella? Aí eu olhei pra dois olhos de jabuticaba me olhando enquanto colocava a etiqueta na boca. Pietra quase me engoliu. Pensei na hora e ri… Meio de aceitação, meio de desespero. Minhas filhas me engoliram. Isso é fato. Hoje em dia eu sou “mamama”. E só de lembrar dessas palavras saindo da boca dela eu me sinto enorme, gigante, potente. Engolida de amor. Esse é apenas um momento da minha vida. E eu não me importo de me dissolver nele, com a etiqueta mamãe pregada na testa”.

“A Marcella está aqui, sempre estará. Ela apenas se ramificou mais e mais, se realocando dentro de mim e na vida, esperando os momentos de agir, de crescer e expandir. Eu não sou um nome. Eu sou um dicionário inteiro, capaz de conter o maior amor do mundo sem precisar entendê-lo ou explicá-lo. Eu sou mamãe. Muito prazer”, finalizou

Desabafo

No dia 24 de janeiro, Marcella Fogaça falou um pouco sobre as mudanças causadas pela maternidade. “Todo mundo avisa: quando vc for mãe sua vida vai mudar completamente, assim como vc. Nada nunca mais será o mesmo. Acho que tem quem pense: “Eu não, comigo vai ser diferente, eu vou dar conta de ser mãe e ainda permanecer a mesma, eu me conheço. Eu vou me acrescentar, não me transformar por inteira””, começou escrevendo.

Marcella Fogaça fala sobre as mudanças na maternidade
Marcella Fogaça fala sobre as mudanças na maternidade (Foto: Reprodução / @instagram / @marcellafogaca)

“Já eu sempre acreditei nesse aviso. Sempre soube que quando me tornasse mãe estaria pronta pra deixar pra trás o que fosse preciso, mudar toda e qualquer coisa, me entregar por inteiro. Mas quanto ao radicalismo da metamorfose, eu estava longe, longe de entender. A gente só entende quando acontece. Aliás, enquanto acontece e olhe lá. Até hoje me pego atropelada em sentimentos e emoções tentando se encaixar em quem fui, quem sou e quem eu devo ser”, disse.

“A maternidade não me acrescentou apenas, ela me fragmentou em mil pedaços, tacou numa máquina de lavar, cuspiu e falou: “pronto linda, agora se monta aí”. A vida vira sim do avesso. Vc vira sim do avesso, se espalha, se anula, florece, se multiplica, se divide, morre um pouco, renasce muito. Cresce em tamanho de alma, de força, e não há nada que não sejamos capazes, inclusive de sermos por quanto tempo for preciso um veículo, uma serva, um forte, um porto, uma rocha”, continuou.

“Nada será mais o mesmo. Ainda bem! Eu hoje sou real e sinto a vida pulsar nas minhas mãos. Eu enxergo o tempo, ele passa rapidamente devagar. Eu resinifiquei a dor e o drama Eu entendi a alegria. Ela é simples e tem saúde. Eu declarei a Liberdade como um estado de espírito. Tem que ser, senão a gente pira. Eu sinto Deus respirar no meu cangote e o amor, ah o amor parece comigo, tem cheiro, tem gosto, tem beijo, tem sorriso banguela e dedão de suspiro”, acrescentou.

“Já eu me olho no espelho e mesmo sem saber quem sou ainda direito, me amo, me aceito e me respeito como nunca antes
Sim, sua vida vira do avesso e vc tbm. E tudo vale a pena. E é por ter essa certeza óbvia, que a gente continua a nadar esse mar pra sempre se for preciso. Maternidade não é mole não. O aviso tá aí, cai quem quer. Eu, cairia mil vezes e mil de novo depois. Ô trem doido de bão!”, finalizou.