Marido de grávida chegou a questionar anestesista médico no parto: “Vai dormir por quê?”

Outros relatos vem sendo feitos em relação a postura do anestesista em partos. Giovanni Quintella foi preso na madrugada da última segunda-feira, 11 de julho, em flagrante

Resumo da Notícia

  • Outros relatos foram feitos em relação a postura do anestesista
  • Giovanni Quintella foi preso na madrugada da última segunda-feira, 11 de julho
  • Ele foi pego em flagrante abusando de uma paciente que estava em trabalho de parto

O marido de uma das grávidas que teve bebê no Hospital da Mulher em São João de Meriti, no Rio de Janeiro, no último domingo, 10 de julho, perguntou para o anestesista Giovanni Quintella Bezerra, o motivo do porque foram dados tantos sedativos para a mulher dormir na hora do parto, segundo a delegada Barbará Lomba, titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam).

-Publicidade-

“Ele fala que ficou na sala até o nascimento dos filhos e, nesse momento, o Giovanni disse que ela iria dormir um pouco. Nesse momento ele questiona por que ela iria dormir. “Ela vai dormir por quê? Ela estava falando comigo há pouco”. Mas, o médico disse que era padrão”, relatou Barbará Lomba.

A primeira mulher que deu à luz no hospital no último domingo chegou na delegacia por volta das 17h30. Em seguida, outra mulher que também teve o filho no mesmo dia, foi até um atendimento especializado. A mulher que foi filmada irá ser ouvida pela polícia pelos próximos dias.

Anestesista é preso por estuprar pacientes
Outros relatos foram feitos em relação ao comportamento do anestesista em partos (Foto: Reprodução / G1)

Novos relatos

Uma outra paciente que é possível vítima do anestesista contou que passou por um parto complicado no dia 3 de junho. A mulher de 37 anos teve pressão alta e até precisou de transfusão de sangue durante a cesárea, mas achou estranho a sedação. “Ele me tranquilizou, disse que ia me anestesiar, que era só pra eu relaxar. Eu apaguei e só acordei quando ele já estava limpando as mãos ou tirando as luvas. Não sei bem, estava tudo embaçado ainda”, lembrou ela.

A mãe ficou preocupada com a sedação, que deu um apagão nela: “É uma situação muito delicada. Ninguém entra numa cirurgia preocupada se vai acontecer alguma coisa, se vai ser abusada. O que me preocupou, e que falei pra minha mãe e meu companheiro, foi a sedação, o apagão. Quando vi o caso na TV foi um susto. A gente fica pensando, será que aconteceu? Será que ele conseguiu? É muito dolorido. A gente não está saindo na noite, é muito delicado”, falou ela.