;
Família

Maternidade e amor pelo artesanato fazem mãe criar um negócio próprio

A Mamys faz Arte é fruto da paciência e insistência de Paula Ono

Yulia Serra

Yulia Serra ,filha de Suzimar e Leopoldo

Paula precisou sair do trabalho por conta de uma complicação da filha (Foto: reprodução/Arquivo Pessoal)

Artesã há 1 ano e meio, Paula Ono, de 37 anos é uma das participantes do projeto Nascer de Novo, nossa parceria com a Brascol para valorizar o empreendedorismo materno. A mãe da Jenny, de 5 anos, e da Jessie, de 3 anos, sempre gostou de trabalhos manuais e criou a Mamys faz Arte para divulgar seus artesanatos.

“Eu parei de trabalhar quando engravidei da minha primeira filha. Era um trabalho que dava um bom retorno financeiro na época. Aos 10 meses, ela foi internada, por causa de uma bronquiolite grave. Na UTI, por meio de um exame de sangue, descobriu-se que ela tinha neutropenia grave, ou seja, contagem anormalmente baixa de um tipo de glóbulos brancos – neutrófilos.

Foi um susto. Ela precisou ficar internada por mais tempo para descobrir de onde vinha a neutropenia, que era característica de leucemia. Na época, ela fez até um mielograma, mas o resultado deu negativo.

Como a neutropenia era grave, um simples resfriado poderia desencadear uma infecção muito mais grave. Então, durante quase 4 anos tive que ficar em casa sem possibilidade de trabalhar fora, pois ela vivia doente.

Na escola, ela sempre faltava quando tinha algum amigo doente para evitar ficar doente também. Era muito difícil, pois sempre que ela ficava assim tinha que tomar antibiótico e isso acontecia todo mês. Além de injeções para ajudar a combater infecções mais sérias (tive que entrar na justiça para o convênio cobrir aplicações sem estar internada).

Durante esse tempo em casa, me sentia muito mal por não poder trabalhar. Queria de qualquer jeito arrumar algo para fazer e ter uma renda. Sempre gostei de trabalhos manuais e pesquisando na internet, resolvi mergulhar no mundo do artesanato.

No início procurei fazer quadros personalizados com dados dos bebês, mas não deu certo. Depois tentei vender laços e tiaras mas também não vingou. Uma noite eu me deparei com a foto de um desenho em tricô com o nome e me apaixonei na hora!

Era lindo, delicado e tinha certeza que poderia fazer! Como não existia curso na época, pesquisei 4 meses na internet sobre a técnica, conhecida por tricotin. Gastei com materiais errados, linhas, mas depois desse tempo finalmente consegui fazer uma peça que achava digna e bem feita para vender.

O segundo passo era montar um perfil comercial no Instagram e Facebook. Passei dias pensando no nome até que saiu a Mamys faz Arte. Fazia muito sentido: uma mãe que fazia artesanato e também arteira (no sentido que apronta). O logo de uma lâmpada com coração foi escolhido, porque é uma ideia que saiu com o amor de mãe.

Depois de criar o perfil registrei a marca e comprei um domínio pensando já lá na frente em um dia poder ter um site. Abri o perfil em agosto, mas nos primeiros seis meses foi muito difícil vender.

Com muita paciência e insistência, em fevereiro do ano seguinte começaram a entrar encomendas semanais e meu perfil está crescendo aos poucos. Agora, estou perto de realizar o sonho de montar um site.”

Se assim como Paula, você também tem vontade de empreender ou é uma mãe empreendedora, conte sua história para nós via direct do Instagram (@paisefilhosoficial) e ela poderá aparecer em nossas matérias.

Leia também:

Pediatra muda relação com a profissão após a maternidade: “Ser mãe é maior que qualquer faculdade”

Mãe se encontra na fotografia após o nascimento dos filhos e cria o próprio negócio

Quer ser a dona do seu próprio negócio? Conheça o projeto Nascer de Novo