Maternidades que fazem mil partos por ano podem ser obrigadas a ter fisioterapeutas 24h por dia, diz PL

O Projeto de Lei está em aprovação da Câmara dos Deputados e também está aberta para votação do público geral. Entenda o que vai mudar

Resumo da Notícia

  • Maternidades que fazem mil partos por ano podem ser obrigadas a ter fisioterapeutas 24h por dia
  • É isso que prevê o Projeto de Lei 906/22, que está sob aprovação da câmara
  • O projeto também está disponível para votação do público geral

Um Projeto de Lei que está agora em análise na Câmara dos Deputados busca tornar obrigatório que maternidades que façam pelo menos 1 mil partos por ano tenham fisioterapeutas disponíveis para as pacientes. A ideia é que essas profissionais estejam disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana, para auxiliar as pacientes.

-Publicidade-

“A atuação dos fisioterapeutas é crucial quando associada à redução do tempo de trabalho de parto e das complicações no assoalho pélvico, além da diminuição dos custos hospitalares”, afirmou a autora da proposta, deputada Rejane Dias (PT-PI), citando a Associação Brasileira de Fisioterapia em Saúde da Mulher.

Maternidades que fazem mil partos por ano podem ser obrigadas a ter fisioterapeutas 24h por dia
Maternidades que fazem mil partos por ano podem ser obrigadas a ter fisioterapeutas 24h por dia (Foto: Getty Images)

Hoje, o Ministério da Saúde já exige fisioterapeutas em tempo integral (24h por dia, 7 dias por semana) nas Unidades de Terapia Intensivas (UTIs) Neonatais. Nesses casos, as profissionais ficam exclusivamente à disposição do atendimento hospitalar do recém-nascido grave ou com risco de morte.

A ideia da proposta é que, a partir de agora, as fisioterapeutas também estejam á disposição para realizar o atendimento das mães que precisem. O projeto ainda não foi completamente definido e está sob aprovação da Câmara dos Deputados. Além deles, no entanto, você também pode votar e dar sua opinião sobre a proposta. Isso porque a Câmara abriu uma votação para o público a respeito do projeto. Se quiser dar sua opinião, é só entrar no site oficial forms.camara.leg.br/enquetes.