Família

Médicos lançam cartilha para ajudar os pais a transportar as crianças na cadeirinha da forma correta

O documento tem conselhos do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e da Organização Mundial da Saúde (OMS)

Ingrid Campiteli

Ingrid Campiteli ,filha de Sandra e Paulo

O ideal é sempre transportar as crianças no banco traseiro (Foto: Shutterstock)

O Conselho Federal de Medicina (CFM), a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lançaram uma cartilha para auxiliar pais e responsáveis a colocarem crianças no carro de maneira correta, sem prejudicar à saúde.

De acordo com a cartilha, as crianças devem sempre que possível ser transportadas no banco traseiro dos veículos automotores e de preferência ocupar a posição central no banco. Se o veículo não tiver cinto de três pontos na posição central, o dispositivo que é usado por crianças deverá ser colocada nas posições do banco de trás onde houver esse cinto.

E se houver crianças sendo transportadas no banco da frente, o airbag do passageiro deve ser desativado. “Esses equipamentos foram projetados para dar mais segurança aos usuários em casos de colisão ou de desaceleração repentina. Conforme mostram os números, eles têm sido fundamentais para salvar milhares de vidas ao longo destes anos”, disse o primeiro vice-presidente do CFM, Mauro Ribeiro.

A cartilha conta com orientações do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e da Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo Antônio Meira Júnior, diretor da Abramet e um dos idealizadores do livreto, os médicos são especialistas essenciais para recomendar a forma apropriada de conduzir uma criança em um veículo. Confira aqui o documento.

Bebê conforto: passo a passo para instalar no carro com segurança e sem neura

Bebê conforto no carro é sinônimo de segurança. Vamos sempre bater na tecla de que isso é prioridade nas viagens em família. E para você não ter dúvidas na hora de instalar o produto conversamos com Diego Spino, gerente de marketing da Dorel Juvenile.

Quando ir para a cadeirinha?

Para complementar existe uma norma que é responsável por classificar os produtos destinados às crianças por peso para aumentar a segurança. De acordo com as regras, o bebê conforto é indicado para aqueles que pesam de 0 a 13kg e a cadeirinha é feita para os de 9 a 18kg. Você pode perceber que existe um cruzamento de peso entre as normas sobre a cadeirinha e o bebê conforto, por isso, quem tem que prestar atenção nesses detalhes é você. Se o seu filho tem entre 9 a 13kg, ele pode ficar no bebê conforto ou na cadeirinha, depende da estrutura corporal da criança.

Posição correta

O bebê conforto pode ir no banco da frente apenas em casos excepcionais, na maioria deles o recomendável é que seja no banco traseiro. Mas caso você tenha uma caminhonete, por exemplo, se enquadra na exceção: “Nessa circunstância, os pais podem usá-lo no banco da frente, mas de costas para o movimento, sempre”. Porém nunca coloque o bebê conforto de frente, é sempre de costas. “A razão disso é porque ele é desenvolvido para crianças menores, andando na posição correta as costas e o pescoço ficam mais protegidos em caso de algum impacto”, explicou Diego.

Modelo ideal

A estrutura dos produtos costuma ser similar, a dica do Diego é que você confira o desempenho do produto nos testes de segurança para poder escolher o melhor para o seu filho.

Também é importante pegar o bebê conforto que atenda suas necessidades, ou seja, se você quer um que também sirva como carrinho, vá atrás desse modelo, e por aí vai. “O ideal é que ele atenda essas três categorias: necessidades de locomoção, uso diário e conforto. Mas é obrigatório que tenha o selo Inmetro, que só existe para produtos comprados no Brasil. Por isso, não compre o bebê conforto ou cadeirinha fora do país”, informou o gerente de marketing.

Leia também:

Cadeirinha do carro: 4 erros mais comuns na hora de usar

Menino de seis anos se asfixia em cinto de segurança de carro e rapaz toma atitude heroica

Seu filho chora na cadeirinha do carro? Saiba o que fazer