Meditação na quarentena: como o seu filho pode praticar e ficar mais calmo

A pandemia trouxe muitos prejuízos, mas também muitos aprendizados para o mundo. Um deles é a necessidade de pararmos para refletir, saiba como envolver as crianças nesse exercício

Resumo da Notícia

  • A meditação é um ótimo exercício e pode ser feito por toda a família
  • Aproveite esse tempo em casa para criar esse hábito com seus filhos
  • Veja algumas dicas para encaixar esse momento na sua rotina
Meditar e manter a calma é essencial para uma vida e uma saúde de qualidade! (Foto: Shutterstock)

Vivemos sempre na correria, sem tempo, sem horário na agenda. Querendo ou não, o coronavírus chegou no mundo e nos obrigou – como nunca antes – a desacelerar. A quarentena, embora muito complicada, é a oportunidade de refletir sobre suas ações e prioridades, porque essa pandemia irá passar, mas os ensinamentos tirados dela serão para sempre. Pais em casa, filhos em casa, por isso o período pede organização da rotina com momentos de lazer em família. 

Para te auxiliar nesse momento, uma boa dica é a meditação, uma vez que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), contribui com o aprendizado, foco e atenção. O mais interessante de tudo é que não se trata de uma atividade dos adultos, você também pode envolver as crianças nesse momento. “Com tantos estímulos à nossa volta, uma pausa na rotina, um momento de tranquilidade e o silêncio podem ser necessários para que a criança procure entender esse período pelo qual passamos”, opina o psicólogo do Marista Escolas Sociais, Pedro Braga Carneiro.

Para o especialista, quanto mais as crianças utilizarem dessa ferramenta, melhor! Já que a meditação permite adquirir novas formas de expressão, aprender a gerenciar as emoções e aumentar a motivação dos mais novos. Então é hora de inserir essa prática no cotidiano! Confira as dicas do psicólogo para realizar essa atividade em casa reunindo a família toda:

  • Organize um horário: inclua essa “tarefa” na rotina e separe um momento antes de realizar as atividades escolares ou os momentos de lazer para praticar.
  • Vá aos poucos: é importante respeitar o tempo da criança, no início comece com poucos minutos, e vá aumentando conforme o hábito for ganhando força. A meditação não deve ser uma imposição, mas sim uma atividade confortável.
  • Atenção à respiração: ao fechar os olhos em um ambiente confortável, ensine as crianças a perceberem sua respiração e explique como ela é importante para a nossa qualidade de vida
  • Valorize o silêncio: no começo pode ser desconfortável, e por isso respeitar os limites das crianças é importante. Mostre que ficar em silêncio pode contribuir para que ela estude, brinque e corra com mais tranquilidade ao longo do dia.
  • Compartilhe experiências: depois da meditação, é importante conversar, tirar as dúvidas e perguntar como eles se sentiram, sempre incentivando para a prática no próximo dia. 
O coronavírus nos mostrou a importância de desacelerar (Foto: Getty Images)

Aproveite esse tempo em casa para criar o hábito de meditar, mas ele deve permanecer mesmo depois do surto de coronavírus, como um exercício para nos lembrar que, sim, é necessário durante o dia a dia parar por um momento. 

 

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!