Menina com alopecia vence concurso do “Dia do Cabelo Maluco” na escola com a melhor ideia

Gianessa foi diagnosticada com alopecia, doença autoimune que causa perda progressiva de cabelo. A menina ganhou o concurso na escola ”Dia do Cabelo Maluco” que ajudou a recuperar sua autoestima e fazer amizades

Resumo da Notícia

  • Com apenas 7 anos de idade, Gianessa foi diagnosticada com alopecia, doença autoimune que causa perda progressiva de cabelo
  • A garotinha ganhou o concurso na escola ''Dia do Cabelo Maluco'' que ajudou a recuperar sua autoestima e fazer amizades
  • A mãe teve a ideia de decorar o couro cabeludo de Gianessa com joias adesivas

Com apenas 7 anos de idade e diagnosticada com alopecia, doença autoimune que causa perda progressiva de cabelo, Gianessa Wride, de Utah, dos Estados Unidos ganhou o concurso na escola ”Dia do Cabelo Maluco”, que ajudou a menina recuperar sua autoestima e fazer amizades. O distúrbio foi descoberto no início de 2017, enquanto a mãe escovava o cabelo da menina quando viu muitas mechas cair do couro cabeludo.

-Publicidade-
Gianessa Wride (Foto: Reprodução/Instagram)

Quando Daniella, mãe de Gianessa, soube do concurso da escola começou a criar ideias para que a menina pudesse participar de forma divertida e inclusiva no concurso. Gianessa que não gosta de lenços e perucas não queria nada do perfil então a mãe teve a ideia de decorar o couro cabeludo com joias adesivas. Foram usados formatos de animais como borboletas, corujas e até mesmo flores que deixou a garotinha encantada.

Apesar de ficar nervosa pela competição, os colegas da escola a elogiaram pelo belo e criativo visual. Ao vencer o concurso, Daniella contou como foi fundamental a criatividade para ajudar a filha na autoestima em uma situação estressante para uma criança.

Gianessa Wride usando jóias adesivas feitas pela mãe para concurso da escola (Foto: Reprodução/Instagram)

“Colocar joias em sua cabeça é realmente um bom ajuste para sua personalidade. E adiciona um pouco de diversão ao que poderia ser um momento estressante para uma garota sem cabelo. Agora, ela se sente mais ela mesma ao mesmo tempo em que se expressa da maneira que se sente confortável, e à medida que fica mais velha”, disse a mãe de Gianessa.