Menina de 7 anos é chamada de ‘porca’ por gostar de futebol

Freya Taylor tem sido alvo de bullying na escola desde que começou a jogar futebol em 2020, de acordo com sua mãe Amy Greaves

Resumo da Notícia

  • Menina de 7 anos é chamada de 'porca' por gostar de futebol;
  • Freya Taylor tem sido alvo de bullying na escola desde que começou a jogar futebol em 2020;
  • O time de futebol que a garota joga lamentou o ocorrido pelas redes sociais

Uma menina de sete anos foi chamada de ‘porca e lésbica’ por gostar de futebol. Freya Taylor tem sido alvo de cyberbullying desde que começou a jogar na liga infantil do Sheffield United Women, time do Reino Unido, em 2020.

-Publicidade-

Amy Greaves disse ao Yorkshire Live que tanto homens como mulheres fazem comentários indelicados sobre o hobby de sua filha enquanto estão em público.

A mulher usou o Twitter para chamar a atenção do clube de futebol e dos usuários da rede social sobre as críticas que recebe ao verem a filha jogar futebol.

“Eu odeio o bullying! Minha filha de 7 anos, sendo chamada de lésbica e até de porco, por jogar futebol e apoiar Sheffield United. Meu coração está partido por ela, mas esses valentões não vão ganhar! #football #twitterblades.”

Freya tem sido apoiada pela comunidade do futebol
Freya tem sido apoiada pela comunidade do futebol (Foto: Reprodução/The Mirror UK)

Apoio viral

O tweet de Greaves recebeu dezenas de mensagens de apoio, incluindo uma do atual técnico do Sheffield United FC, Paul Heckingbottom. O técnico disse: “Lamento ouvir sobre sua filha, você pode dizer a ela de mim o quão importante é que ela continue jogando futebol como minha própria filha faz e um grande obrigado por apoiar as lâminas”.

A página do Sheffield United Women também prestou solidariedade a jogadora prodígio. “Lamentamos muito ouvir isso. Adoraríamos convidar você e sua filha para o nosso jogo de domingo contra o Blackburn Rovers e providenciaremos para ela uma camisa autografada pelo Esquadrão.

 

Amy disse que as mensagens cruéis não impediram Freya de jogar futebol por muito tempo
Amy disse que as mensagens cruéis não impediram Freya de jogar futebol por muito tempo (Foto: Reprodução/The Mirror UK)