Menina que caiu do carro alegórico segue internada em estado grave e respira com ajuda de aparelhos

A garota de 11 anos teve sua perna amputada após o acontecido e agora respira com a ajuda de aparelhos

Resumo da Notícia

  • Raquel Antunes da Silva segue em estado grave
  • A menina já teve paradas cardiorrespiratória e uma das pernas amputadas
  • Depois do caso, Justiça determinou que as escolas de samba façam escolta dos carros alegóricos.

Após sofrer um acidente durante a madrugada de quinta-feira, 21 de abril, a menina Raquel Antunes da Silva segue internada em estado grave. Nesta sexta-feira, 22 de abril, a garota de 11 anos respira com auxílio de aparelhos no CTI pediátrico do Hospital Souza Aguiar, no Rio de Janeiro.

-Publicidade-

A menina foi prensada pelas pernas entre o carro alegórico da escola de samba Em Cima da Hora e um poste de rua. Ela já passou por 6 horas de cirurgia durante a quinta-feira. Raquel chegou a ter parada cardiorrespiratória e ainda devido as lesões graves nas pernas, teve que amputar uma delas. 

Após o caso, Justiça determinou que as escolas de samba devem escoltar os carros alegóricos até os barracões. Essa decisão partiu do juiz Sandro Pitthan Espíndola, da 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso, que acolheu o pedido do Ministério Público estadual.

Criança que caiu de carro alegórico no Rio tem perna amputada

A criança que caiu de um carro alegórico no Carnaval do Rio de Janeiro teve a perna amputada. Raquel Antunes da Silva tem 11 anos de idade e, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o estado de saúde dela ainda é grave.

As pernas de Raquel foram prensadas entre o carro alegórico da escola de samba Em Cima da Hora e um poste. A alegoria era a primeira a desfilar na Marquês de Sapucaí. Testemunhas afirmaram à polícia que a menina estava acompanhada da mãe quando viu a movimentação dos carros para o começo do desfile e, por isso, se separou da mulher e subiu no carro alegórico enquanto ele ainda estava parado.

Os desfiles chegaram a ser interrompidos após o acidente para perícia. A polícia segue investigando o caso. A mãe de Raquel, Marcela Portelinha Antunes, passou mal ao descobrir que a filha teria a perna amputada por conta da queda acidental. A mulher está grávida e chegou a desmaiar, segundo informações da TV Globo.

As pernas de Raquel foram esmagadas entre um poste e o carro (Foto: Reprodução/ Globo)

Marcela ainda chegou a confirmar que as pernas da filha foram dilaceradas pelo esmagamento. Uma tia da menina ainda contou que a cirurgia de amputação levou oito horas para ser realizada. Apesar do delicado quadro de saúde, a equipe médica confirmou que ela está estável e não corre o risco de perder a outra perna.

A Lierj (Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro) e a Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba) emitiram uma nota oficial sobre a qual declararam apoio à família de Raquel neste momento e lamentaram o ocorrido. Confira o texto divulgado pela UOL.

“As ligas das escolas de samba do Rio de Janeiro estão abaladas e se solidarizam com a família de Raquel Antunes. A jovem menor subiu no carro alegórico fora do Sambódromo, na Rua Frei Caneca, no Estácio, após deixar a área de dispersão. Prontamente, em menos de dois minutos, ela foi socorrida e levada ao Hospital Sousa Aguiar, onde foi submetida a cirurgias. Equipes das Ligas e da Escola acompanham o caso na unidade hospitalar ao lado da família desde o primeiro instante e também colaboram com as autoridades. Nesse momento, é preciso esperar a apuração da perícia e autoridades para novos esclarecimentos”.