Menino de 13 anos que matou a mãe e o irmão ‘se assustou quando viu que o pai estava vivo’

A informação foi dada pelo delegado responsável pelo caso em entrevista à “TV Sol”

Resumo da Notícia

  • Menino de 13 anos que matou a mãe e o irmão 'se assustou quando viu que o pai estava vivo'
  • A informação foi dada pelo delegado responsável pelo caso em entrevista à "TV Sol"
  • O caso aconteceu no último sábado, 19 de março

O adolescente que matou a mãe e o irmão depois de ficar irritado com as cobranças relacionadas à escola teria se assustado ao descobrir que o pai sobreviveu, segundo informações do delegado que está apurando o caso.  A mãe e o irmão de 7 anos de adolescente morreram após o jovem usar a arma de fogo do pai, um policial militar reformado, 56.

-Publicidade-

O pai sobreviveu aos ataque e está internado em estado grave, mas estável. “Eu percebi que ele, quando soube que o pai ainda estava vivo, se assustou. Acho que ele estaria mais satisfeito se todos os três tivessem falecido”, contou o delegado do caso Renato Leite à “TV Sol”.

Menino de 13 anos que matou a mãe e o irmão 'se assustou quando viu que o pai estava vivo'
Menino de 13 anos que matou a mãe e o irmão ‘se assustou quando viu que o pai estava vivo (Foto: Getty Images)

O delegado também falou sobre as motivações do crime. Ele reforçou que acredita que tudo aconteceu por uma discussão sobre o rendimento escolar e a proibição do jogo online. “Estava tirando notas baixas porque em casa só queria saber de estar jogando esse jogo [online]. O menino, quando era cobrado pra arrumar uma cama ou então enxugar uma louça, disse ele que se sentia pressionado. E por esse motivo hoje foi a gota d’água. E ele se armou com a arma do pai e fez o que fez, infelizmente”, disse ele.

Relembre o caso

No último sábado, 19 de março, um menino de 13 anos confessou que matou a família por não o deixarem usar o celular porque não tirou boas notas na escola. A mãe, de 47 anos, e o irmão mais novo, de 7, foram morreram. Já o pai, de 57 anos, ficou gravemente ferido. O caso aconteceu em Patos, na Paraíba.

O garoto foi apreendido e levado para a Delegacia de Homicídios e Entorpecentes da Polícia Civil do município. De acordo com ele, o pai, que é policial militar, havia saído e, pouco antes de sair de casa, tirou o celular do menino. Quando retornou, encontrou a esposa sem vida e pediu para que o filho soltasse a arma. No entanto, ele foi atingido no tórax e no pé.

O irmão mais novo ouviu o barulho dos tiros e correu para abraçar o pai que estava ferido. Porém, também foi baleado pelas costas e morreu antes de chegar ao hospital.

O adolescente havia negado o ato, no entanto, acabou confessando na delegacia. Em seguida, foi apreendido na carceragem da Polícia Civil de Patos aguardando audiência de apresentação. Após a apreciação judicial, ele pode ser encaminhado ao Centro Especializado de Reabilitação de Sousa.