Menino de 3 anos é picado por cobra em Goiás: “Foi desesperador, nunca passei por nada igual”

No momento em que Luiz Felipe foi picado, o avô foi socorrer ele e seguiram para o hospital. Câmeras de segurança do local flagraram a hora que o menino é picado

Resumo da Notícia

  • No momento em que Luiz Felipe foi picado, o avô foi socorrer ele e seguiram para o hospital
  • Câmeras de segurança do local flagraram a hora que o menino é picado
  • A mãe do garoto alerta sobre os cuidados que deve ter ao tomar picada de cobra

Criança de 3 anos foi picada por uma cobra na porta da própria casa em Itaberaí, no noroeste de Goiás. O vídeo que está circulando nas redes, mostra o momento que a cobra avança no garoto. A criança corre para o lado do avô, que socorre ele.

-Publicidade-

O caso aconteceu no domingo, 15 de maio, na fazenda dos avós do garoto. A família ia para lá todo final de semana. Conforme depoimento da mãe do garoto, Kamilla Pereira, o menino chamado Luiz Felipe e o avô foram pegar ovos no galinheiro e quando voltaram para casa, a cobra cruzou o caminho deles.

“Foi desesperador, eu nunca tinha passado apuro com ele antes. Ontem eu e meu esposo perdemos o chão, ficamos com muito medo” disse a mãe do garoto. Kamilla disse que quando o avô chegou com a criança, eles lavaram a perna dele e levaram para o Hospital Municipal de Itaberaí. Depois de darem entrada ao hospital, a criança foi transferida para o Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr Anuar Auad, em Goiânia, para saber se a cobra era ou não venenosa.

O garoto tem 3 anos
O garoto tem 3 anos (Foto: reprodução/ Arquivo pessoal/Kamilla Pereira)

“Meu pai não conseguiu ver qual cobra era para saber se era venenosa. Ele ficou muito nervoso, só viu que era uma cobra amarela. A médica não descarta que seja uma cobra venenosa, não deu para ver qual cobra era, mas como ele tirou a perninha muito rápido, não deu tempo dela injetar veneno” continuou a mãe.

Os familiares contaram que o menino ficou por 12 horas no hospital mas já recebeu alta e está em casa. A mãe conta que os exames indicaram uma leve alteração na contração do músculo. Kamilla também ressaltou a importância dos cuidados com picada de cobra, “É preciso estar alerta” finalizou.