Menino de 7 anos tenta vender aviões de papel para comprar celular

A história viralizou na internet após a mãe do garoto postar uma foto dele triste em uma praça de Cubatão, São Paulo

Resumo da Notícia

  • Menino de 7 anos tenta vender aviões de papel para comprar celular
  • Mãe o encontrou triste em praça após venda fraca dos 'produtos'
  • Foto do comércio de Arthur viralizou na internet

Um menino de 7 anos tentou vender aviões de papel em Cubatão, São Paulo, para comprar um celular. O dono dessa ideia criativa é Arthur Ferreira dos Santos, que comoveu a internet com uma foto postada por sua mãe de quando o encontrou triste em uma praça por conta da venda fraca dos ‘produtos’.

-Publicidade-
Menino de 7 anos aposta em comércio de aviões de papel, com o objetivo de comprar um celular (Foto: Matt Ridley on Unsplash)

Em entrevista ao G1, Marcella Fereira da Silva disse que não sabia do plano do filho e que, depois de encontrá-lo sentado em uma praça e triste porque o comércio não estava dando certo, comprou todos os aviões e o levou para  casa. Segundo ela, o celular de Arthur caiu no mar alguns meses atrás e acabou oxidando. Então, decidido a comprar um novo aparelho, o menino teve a ideia de abrir um comércio de aviões de papel. “Ele inventou de fazer os aviõezinhos, mas eu não sabia para o que era, não estava entendendo. Ele só ficou o dia todo falando que ia fazer avião de papel”, contou a mãe ao veículo.

No dia seguinte ao que fez vários aviões de papel, o menino saiu de casa sem que a mãe notasse. De tarde, Marcella foi procurar Arthur pela casa e não o achou, decidindo ir até a praça que o filho sempre vai para brincar. A mulher conta que, ao chegar, encontrou Arthur sentado em um banco com vários aviões de papel e muito triste. O garoto explicou à mãe o que estava fazendo e apresentou seus produtos: o avião de papel pequeno era R$ 0,10, o médio era R$ 0,25 e o grande, R$1.

-Publicidade-

Após ser questionado pela mãe do por quê de estar vendendo isso, o menino disse que tinha o objetivo de usar o dinheiro para comprar um celular. Algumas crianças que estavam na praça chamaram Arthur de doido e falaram que ele não iria conseguir vender nenhum, pois ninguém gastaria dinheiro com isso. “Eu fiquei triste, e falei para ele que compraria tudo por R$ 3, e a gente iria para casa. Ele disse que poderia ser, mas falou que o dinheiro que eu dei não daria para comprar um celular”, contou Marcella.

Arthur colocou à venda aviões de papel, com preço de 25 centavos até 1 real (Foto: Getty Images)

A mãe também disse que não deixa o menino sair sozinho e que ele planejou para que ela não descobrisse: “Eu nem sonhava, se soubesse que ele tinha ido para a rua vender esses aviões, teria mandado ele voltar. Ele deve ter pensado que, se me avisasse, eu não ia deixar, porque eu não deixo ele sair sozinho”

A foto postada pela mãe no Facebook recebeu diversos comentários de apoio e foi muito compartilhadas por pessoas comovidas com a história, que começaram a entrar em contato com Marcella para comprar os aviões do menino e enviar dinheiro para ajudar na compra do celular. “Eu não sabia que esses aviões iam voar tão longe, e foi longe demais. Ele fala que está famoso, todo feliz”, compartilha a mãe, surpresa com a repercussão da publicação.

Apesar do final da história, a mulher ainda está assustada com o ocorrido e diz que foi acusada de mandar o menino ir vender, mas que jamais faria isso e que prefere ela ir para rua vender algo do que o filho. Além disso, ela complementa dizendo que não acha justo crianças vendendo coisas na rua e que foi ideia de Arthur.