Menino de 9 anos usa economias para ajudar comunidade carente

A quantia que Pedro Victor Lima de Aquino juntou se tornou o prêmio das rifas, com objetivo de arrecadar mantimentos para os moradores de Sapiranga, no Ceará

Resumo da Notícia

  • Menino de 9 anos usa dinheiro guardado para ajudar comunidade carente
  • Pedro Victor iria usar a quantia para comprar um videogame
  • Ele elaborou um sorteio de rifas para conseguir comprar mantimentos para as pessoas

Menino de 9 anos usa economias para ajudar comunidade carente, em vez de comprar um videogame que queria. A quantia que Pedro Victor Lima de Aquino juntou se tornou o prêmio das rifas, com objetivo de arrecadar mantimentos para os moradores de Sapiranga, no Ceará. Seu objetivo é “acabar com a fome do mundo inteiro”.

-Publicidade-
Menino de 9 anos usa dinheiro guardado para ajudar comunidade carente (Foto: Getty Images)

O menino teve a ideia dessa boa ação depois de ver sua mãe fazendo ações para ajudar as famílias necessitadas do bairro. Comovido pela situação, Pedro resolveu doar suas economias para a causa, desistindo de juntar dinheiro para um videogame. A doação foi todo o dinheiro que ele tinha guardado, que era R$ 50 e que foi usado como prêmio do sorteio de rifas.

Em entrevista ao Diário do Nordeste, Mariana, mãe de Pedro, contou que ficou muito feliz com a atitude empática do filho: “Ele já vem com esse cofrinho juntando moedas faz algum tempo, porque o sonho dele é comprar um videogame, e nós não temos condições. E eu fico muito feliz porque parte dele essa ideia”.

-Publicidade-

Para cada ponto da rifa, eles pediram 1kg de alimento. Até o momento, 15 cestas básicas foram montadas e entregues aos moradores de Sapiranga, e terão mais! Rosana, tia do menino, divulgou o projeto nas redes sociais, atraindo muitas pessoas que querem ajudar na ideia de Pedro. “Gente que nem conhecia ele. E foi assim, maravilhoso para gente, pois não esperávamos tudo isso”, disse Rosana, surpresa e feliz com a repercussão. “A gente tá vivendo um momento tão difícil e vê uma criança de nove anos doar o pouco que ela tem quando muitas pessoas têm muito, isso mexe demais com a gente”, finalizou a tia.