Menino de oito anos comove ao aproveitar prova para fazer denúncia: “Meu pai bate na minha mãe”

Por muitas vezes, as crianças não sabem ao certo como lidar com as situações que presenciam. Mas dessa vez, a atitude do garoto fez toda a diferença

Resumo da Notícia

  • Viver um violência doméstica é difícil para a vítima e também para os filho;
  • Por muitas vezes, as crianças não sabem ao certo como lidar com as situações que presenciam;
  • No entanto, na última semana, um menino de oito anos comoveu ao aproveitar uma prova na escola, para denunciar.

Viver um violência doméstica é difícil para a vítima e também para os filhos, que por muitas vezes não sabem ao certo como lidar com as situações que presenciam. No entanto, na última semana, um menino de oito anos comoveu ao aproveitar uma prova na escola, para denunciar.

-Publicidade-

O caso aconteceu no Vale do Anari, em Rondônia. Segundo o Diário da Amazônia, foi em um ato de desespero que o pequeno pensou em pedir socorro à professora. “Por favor me ajuda. Meu pai bate na minha mãe. Chama pra mim a polícia”, escreveu o menino à professora. A criança também lembrou de deixar seu endereço.

Menino pede socorro em prova da escola
Menino pede socorro em prova da escola (Foto: Reprodução/ Instagram)

A instituição apurou que a mãe do garoto sofreu diversas agressões do marido, além de ameaças e violência psicológica. Apesar de inesperada, a atitude fez toda a diferença! Após a denúncia, a polícia foi até a casa da família e descobriu que não só a mulher, como o garoto e seus irmãos também era vítimas das agressões do pai.

O menino e seus irmãos – de 16, 14, e 13 anos – foram levados a um abrigo da cidade e a família deve ficar sobre proteção até a conclusão do caso. Nas redes sociais, o caso comoveu muitas pessoas. “Gente, que dor, eu chorei, e só de pensar que essa é a realidade de várias mulheres e crianças me dói na alma”, lamentou uma delas.

Menino pede socorro em prova da escola
Menino pede socorro em prova da escola (Foto: iStock)

Já um profissional da educação, aproveitou para desabafar nos comentários: “O tanto que nós professores ficamos angustiados em saber certas situações nas casas dos nossos pequenos. Eles se tornam nossos filhos. É impossível não se comover com as histórias de cada um”. Saiba como denunciar!