Menino deixa cabelo crescer por três anos para doar para crianças em tratamento de câncer

Emanoel Salvador tem só 5 anos, mas já demonstrou uma solidariedade enorme ao decidir deixar os fios crescerem para ajudar outras pessoas

Resumo da Notícia

  • Emanoel Salvador decidiu ficar 3 anos sem cortar o cabelo para doar para crianças em tratamento de câncer
  • O menino de 5 anos, depois da espera, conseguiu realizar seu desejo e ajudar outras pessoas
  • A mãe dele comentou que ele pretende continuar doando

Emanoel Salvador, de apenas 5 anos de idade, teve uma iniciativa incrível para ajudar outras pessoas. O menino decidiu deixar o cabelo crescer por três anos para fazer uma doação para pessoas que estão em tratamento contra o câncer.

-Publicidade-
Emanoel Salvador doou o cabelo para crianças em tratamento contra o câncer
Emanoel Salvador doou o cabelo para crianças em tratamento contra o câncer (Foto: reprodução/G1/Arquivo Pessoal)

O menino, de Teresina, com poucos anos de idade passou a frequentar a Rede Feminina Estadual de Combate ao Câncer quando a irmã enfrentou uma questão de saúde. Assim, ele começou a entrar em contato com outras crianças que enfrentavam essa doença.

Embora a irmã não foi diagnosticada com câncer, o tempo de convívio com essas crianças sensibilizou Emanoel. “Ele sempre perguntava porque as crianças não tinham cabelo até que um dia Emanoel decidiu que não ia mais cortar o cabelo”, disse Sueide Janes Lima, mãe dele em entrevista ao G1.

Menino que ficou 3 anos sem cortar cabelo realiza sonho de doá-lo para crianças em tratamento de câncer
Menino que ficou 3 anos sem cortar cabelo realiza sonho de doá-lo para crianças em tratamento de câncer (Foto: reprodução/G1/Arquivo Pessoal)

E olha que esse caminho não foi tão simples, já que segundo a mãe, muitas pessoas tentaram convencê-lo a cortar o cabelo. E a espera valeu a pena, já que aos 5 anos, ele pode realizar esse desejo e ainda ajudar outras crianças.

Logo depois, a mãe dele afirma que um dos comentários foi: “Ele se olhou no espelho e perguntou se ia demorar para o cabelo dele crescer, porque ele queria doar de novo”. Essa solidariedade inspira.